Esclerose múltipla e seu tratamento através da Cannabis

2,5 milhões de pessoas no mundo possuem esclerose múltipla. No Brasil, a Associação Brasileira de Esclerose Múltipla (ABEM) estima que cerca de 35 mil pessoas tenham a doença.

Se você possui a doença ou tem alguém muito próximo que é portador, já sabe bem que a esclerose múltipla não tem cura. Porém, existem tratamentos alternativos que aliviam os sintomas e melhoram a qualidade de vida.

A Cannabis é um desses tratamentos. Mas quando falamos em Cannabis é possível que a primeira coisa que venha a sua cabeça seja o uso recreativo da planta. Mas esse não é o caso.

A maconha, como é conhecida aqui no Brasil, é uma planta medicinal como qualquer outra planta, e pode ser usada no tratamento de algumas doenças, como a esclerose múltipla.

Quanto estamos à frente situação difícil como a esclerose múltipla, é normal que tenhamos dúvidas e inseguranças. Neste artigo buscamos esclarecer todas essas questões e deixá-lo bem informado acerca do assunto, inclusive com casos reais sobre esse tipo de tratamento. Confira:

Esclerose múltipla: o que é e seus tratamentos

Imagem: Dra. Costa

A esclerose múltipla não é uma doença mental, nem contagiosa. No entanto, infelizmente a doença não tem cura e também não podemos preveni-la.

A esclerose múltipla é uma doença auto-imune, ou seja, o próprio sistema imunológico de uma pessoa promove ataques contra seu cérebro e sistema nervoso central, resultando em sintomas que prejudicam a vida do portador de esclerose.

A doenças afeta especialmente jovens de 20 a 40 anos, e o seu tratamento tem com o objetivo reduzir os sintomas. Abaixo você pode ver os sintomas mais comuns:

Sintomas da esclerose múltipla

  • Visão turva;
  • Alterações no controle da urina;
  • Fraqueza;
  • Entorpecimento ou formigamento nas pernas ou em um lado do corpo;
  • Visão dupla;
  • Perda de visão;
  • Desequilíbrio;
  • Tremores

É importante ressaltar que os portadores podem começar a apresentar sintomas fracos que, ao longo do tempo, vão se tornando mais frequentes e significativos.

Além disso, é comum não apresentar os mesmos sintomas em diferentes surtos, já que os sintomas dependem do local afetado pelo sistema imunológico.

Tratamentos para esclerose múltipla

Como já falamos anteriormente, os tratamentos buscam aumentar a qualidade de vida do paciente, reduzindo os sintomas da doença e seus surtos, reduzindo a atividade inflamatória do portador.

Alguns medicamentos podem ser utilizados no tratamento da esclerose múltipla, no entanto, somente um médico neurologista pode fazê-lo, analisando caso a caso.

No entanto, temos o relato de sintomas, muito comuns especialmente no início do uso destas medicações são, como  dores de cabeça, dores musculares, febre, fadiga e agravamento de sintomas da doença.

Em alguns casos esses sintomas pelo uso de medicamentação são transitórios e podem ser amenizados com outros medicamentos, como analgésicos, em doses menores e sob orientação de um médico.

Também aliado ao tratamento medicamentoso, temos a neurorreabilitação que pode reduzir alguns sintomas. A neurorreabilitação envolve a psicologia, neuropsicologia, fisioterapia, arteterapia, fonoaudiologia, fisioterapia, neurovisão e terapia ocupacional.

Mas talvez você, seu familiar ou amigo portador já tenha tentado esses tratamentos e não esteja plenamente satisfeito com os resultados.

Mas há outra saída? Outro tipo de tratamento? A resposta é sim. Veja a seguir:

Como a Cannabis pode ajudar no tratamento de esclerose múltipla?

A Cannabis possui duas substâncias, o CBD (canabidiol) e o THC (tetrahidrocanabinol) que são cruciais em seu uso medicinal. Isso porque elas possuem muitas propriedades medicinais.

Dentre elas, as propriedades anti-inflamatórias se destacam no tratamento da esclerose múltipla por ser uma doença autoimune.

Além disso, muitas células humanas possuem receptores de canabinóides, como o CBD e o THC. Assim, quando a maconha é consumida, alguns canabinóides podem se ligar a esses receptores.

Quando isso ocorre em células do sistema nervoso, o THC parece ter um efeito protetor, impedindo que as células interajam demais entre si. Isso é extremamente importante para portadores de esclerose múltipla, já que a capa de mielina (responsável pela proteção dessas células) é deteriorada pelo avanço da doença.

A capa ou bainha de mielina é um tecido adiposo que protege nossas células nervosas, sendo que com a esclerose múltipla faz com que essa capa seja danificada.

Além disso, estudos mostram que, em geral, o THC ajudam a regular o apetite, a memória, o sono e o sistema imunológico, sendo este último crucial para portadores dessa doença.

Além de que, a maioria dos canabinóides funciona da mesma maneira, se conectando com as células do corpo e mudando a maneira como as células se comunicam.

Agora você deve estar se perguntando…

Mas por que a Cannabis pode auxiliar e modificar tanto os sintomas da esclerose múltipla?

Tudo começa no sistema endocanabinoide  que , pasme você, todos temos em nosso corpo. Esse sistema é um conjunto de receptores e enzimas que trabalham como sinalizadores e moduladores nos processos de nosso organismo.

Não é coincidência que o nome desse sistema contenha “canabinóide”. O sistema foi descoberta exatamente cientistas procuravam compreender os efeitos da cannabis em humanos,

Isso porque é esse sistema que é afetado por substâncias canabinóides, como o CBD e o THC que já citamos.

Em um estudo de 2007, por exemplo, foi observado que a atividade endocanabinóide foi significativamente alterada em animais com esclerose múltipla. Isso comprova que esse sistema é afetado pela doença e que, portanto, a Cannabis pode auxiliar no tratamento.

A Cannabis pode mesmo aumentar a qualidade de vida de meus familiares portadores de esclerose múltipla?

Academia Americana de Neurologia afirma que a cannabis é eficaz para o tratamento da dor e espasmos, sendo que outras pesquisas mostram que Cannabis também pode ajudar nos seguintes sintomas:

Dor e distúrbios do sono

De acordo com um ensaio “padrão ouro” com extrato de planta inteira Cannabis (spray contendo 1: 1 de THC e CBD), foi duas vezes mais eficaz que o placebo no tratamento de dor, e três vezes mais eficaz para tratamentos envolvendo sono.

Questões relacionadas à inflamação

A inflamação do tecido neural é comum, pois as células do sistema imunológico do corpo atacam o sistema nervoso central. Os efeitos anti inflamatórios (bem documentados) da Cannabis podem ajudar os pacientes com esclerose múltipla.

Sobre espasmos, uma revisão sistemática de 2014 forneceu evidências de alta qualidade de que os medicamentos à base de Cannabis são altamente eficazes no tratamento de espasmos musculares.

Queixas gastrointestinais

Muitos cientistas acreditam que os canabinóides ajudam a controlar a resposta intestinal e a modular problemas gastrointestinais.

Nesse sentido, de acordo com uma pesquisa realizada pelo pesquisador escocês Roger Pertwee, 51-60% dos entrevistados relataram uma diminuição na urgência de defecação, uma redução de 44% na incontinência e 30% tiveram menos constipação.

Problemas de humor

A maioria das pessoas com esclerose múltipla, infelizmente, tendem a desencadear depressão ou problemas persistentes de humor.

Uma pesquisa descobriu que mais de 90% dos que sofrem de esclerose múltipla relataram que a cannabis botânica melhora o humor. Acredita-se que a cannabis possa intervir nos espasmos causados pela esclerose múltipla pelo mesmo motivo que ela tem ajudado a tratar a epilepsia: seu efeito neuroprotetor.

Mais pesquisas com Cannabis envolvendo sintomas da esclerose múltipla

Estudos de 2001 mostram que os endocanabinóides controlam espasmos. Ao entrar no sistema endocanabinoide, compostos como o THC e o CBD retardam a reação auto-imune, param a inflamação, melhoram o controle muscular e eliminam os efeitos colaterais corporais da esclerose múltipla.

Imagem: Leafy

Ademais, problemas gastrointestinais são muito comuns em pacientes com esclerose múltipla, como prisão de ventre, problemas com controle intestinal e dificuldade para digerir, o que pode tornar a vida do dia-a-dia infeliz.

No entanto, estudos mostram que Cannabis também pode auxiliar nisso, especialmente porque 70% das células do sistema imunológico estão no seu intestino. Como era de se esperar, os canabinoides se envolvem com essas células imunológicas e auxiliam no combate à inflamação silenciosa nos intestinos.

Um estudo de 2013 com fumantes de cannabis descobriu que eles tinham mais facilidade em adormecer. Eles também adormeceram mais rapidamente e foram mais propensos a ter uma ressaca de sono no dia seguinte.

Uma “ressaca do sono” pode não ser ótima em um dia de trabalho movimentado. No entanto, os pacientes que precisam de um pouco de descanso extra podem achar isso agradável.

Em resumo, uma quantidade significativa de evidências e estudos sugerem que medicamentos baseados em canabinóides, especialmente THC e CBD, podem ser usados ​​para tratar sintomas da esclerose múltipla.

Casos reais de esclerose múltipla tratada com Cannabis

Agora vou apresentar a você dois casos reais de esclerose múltipla tratada com Cannabis, demonstrando que esse tratamento é possível e tem efeitos muito positivos nas vidas das pessoas portadoras da doença.

O primeiro caso é do americano Jabe Couch, apresentado em Leafy. Jabe é pai, marido e adorava correr. Após o avanço da esclerose múltipla ele foi impedido de praticar seu esporte:

“Não só eu não poderia mais correr. Eu ficaria confinado a uma cadeira de rodas provavelmente pelo resto da minha vida.”

O americano confessa que tinha alguns conceitos pré-formados em relação a usuários de maconha, o que levou a relutar no tratamento medicinal da Cannabis.

No entanto, sua condição acabou fazendo com que ele mudasse de idéia.

“Durante anos, meu rosto ficou tão entorpecido que não consegui sentir nada. Um dia a dormência começou a diminuir. Eu estava beijando minha esposa, e pude sentir seu rosto macio pressionado contra o meu. Muito feliz, comecei a chorar. Foi um dos melhores dias da minha vida. ”

Em outro caso real, dessa vez aqui do Brasil e apresentado pelo Growroom , temos o Gilberto. Casado, pai e paulista, Gilberto chegou a perder a sensibilidade do pescoço para baixo pela esclerose múltipla.

Após o uso de Cannabis, Gilberto pode recuperar sua vida de volta, conforme ele próprio dá o depoimento no vídeo abaixo:

Médicos e organizações de apoio sobre o tratamento de esclerose múltipla

O Amigos Múltiplos pela Esclerose é uma entidade digital sem fins lucrativos que tem como objetivo divulgar a doença, contribuindo para a busca do diagnóstico precoce, tratamento e no aumento de qualidade de vida de pacientes, seus amigos e familiares.

Recomendo muito a visita ao site, é uma ótima maneira de se informar mais sobre a doenças, destruir mitos que surgem na nossa cabeça e ainda formar uma rede de apoio virtual.

Agora saindo do mundo digital, temos o SPAbem, da Associação Brasileira de Esclerose Múltipla, onde você encontra mais de 10 terapias que ajudam a reduzir os sintomas da doença como, musicoterapia, yoga e Reiki.

Fonte: ABEM

Além disso, para saber mais sobre o uso de maconha medicinal no Brasil veja a Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (ABRACE).

É verdade que essa associação é mais focada em tratamentos com crianças, mas sinceramente vale muito a pena dar uma olhada na associação, ver seus casos de sucesso e começar a ver os benefícios de uma planta medicinal como qualquer outra, que é a Cannabis.

Lá você encontra também muitas informações necessárias para começar um tratamento usando Cannabis medicinal, inclusive assessoria jurídica.

Além disso, a ABRACE é uma organização sem fins lucrativos, que conta com médicos parceiros, e, mais recentemente, autorização pela Justiça Federal de cultivar e manipular a Cannabis sativa exclusivamente para fins medicinais na sede em João Pessoa.

Por essas e outras, realmente acho que vale a pena você dar uma passadinha por lá!

Conclusão

A esclerose múltipla é uma doença que realmente pode mudar a rotina e diminuir muito a qualidade de vida de qualquer pessoa.

Alguns tratamentos estão disponíveis no Brasil, aqui você conheceu mais sobre os principais e, assim, pode decidir melhor qual você, ou seu familiar e amigo, se identifica e tem preferência.

Ressalto ainda que o uso da Cannabis medicinal pode ser uma alternativa a ser estudada e analisada por você, especialmente devido aos inúmeros casos de sucesso, como os dois aqui apresentados. Aproveite as informações!

Além da Esclerose Múltipla, a Cannabis já é comprovadamente usada no tratamento de diversas outras doenças. Entenda um pouco mais sobre os usos medicinais e recreacionais da maconha neste artigo.

Gostou do artigo? Gostaria de saber mais alguma coisa sobre o uso de Cannabis em esclerose múltipla? Podemos te ajudar! Deixe seu comentário abaixo!

Posts recentes

Veja mais