Síndrome de Tourette e o papel da maconha no seu tratamento

É bem provável que você já tenha conhecido alguém com algum tipo de “tique nervoso”. Algum conhecido que ao longo da vida começou a piscar os olhos repetidamente, encolher os ombros ou deixar escapar palavras aleatórias.

Esses sintomas são característicos de uma síndrome, conhecida como Síndrome de Tourette.

A síndrome de tourette é um distúrbio do sistema nervoso que afeta a vida de milhões de pessoas em todo o mundo, incluindo adultos e crianças. Os seus sintomas vão desde movimentos repetitivos incontroláveis até a emissão de sons indesejados.

Nos últimos anos, a busca por novos tratamentos que causem menos efeitos colaterais e melhorem a qualidade de vida do paciente vem se intensificando.

Surge então o uso das propriedades terapêuticas da maconha, como uma alternativa, que tem menos efeitos colaterais e grande capacidade de tratar os sintomas dessa síndrome que influencia a vida de tantas pessoas.

Neste artigo, você vai descobrir os inúmeros pontos positivos do uso da maconha medicinal no tratamento da síndrome de tourette e como ela tem se mostrado uma boa alternativa para o tratamento dos seus sintomas. Se quiser saber mais sobre outros usos medicinais da Cannabis, visite este artigo que fala de tudo um pouco sobre a maconha na medicina atual.

Infelizmente, no Brasil, o preconceito que envolve o uso medicinal da cannabis ainda faz com que o seu potencial de uso medicinal não seja explorado ao máximo.

Mas por que utilizar a maconha?

Os benefícios da cannabis tem sido explorados ao redor do mundo, e a planta já é  reconhecida como alternativa para o tratamento dos sintomas de muitas doenças, como por exemplo: glaucoma, dores crônicas, náuseas, vômitos, câncer, HIV e epilepsia.

Para a síndrome de tourette, a eficácia da cannabis medicinal tem sido comprovada através de trabalhos científicos que mostraram bons resultados.

Alguns resultados superaram os efeitos da medicação convencional, inclusive na melhora da qualidade de vida do paciente. Os efeitos colaterais foram reduzidos e chegaram a desaparecer completamente em alguns casos.

Se você é portador da síndrome, a essa altura já deve ter considerado um tratamento alternativo, assim, esse texto foi feito sob medida pra te ajudar a entender um pouco melhor como a cannabis pode te auxiliar.

Mas caso esse não seja o caso, tenho certeza que você vai gostar de saber mais sobre o uso medicinal da maconha e seu poder de melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Confira mais a seguir:

A síndrome de tourette, suas causas e sintomas

A síndrome de tourette é um distúrbio neurológico caracterizado pela presença de múltiplos problemas motores e vocais, que também são chamados de “tiques”.

É uma condição que ocorre frequentemente, estima-se que 1% da população mundial sofra com a doença.

Atingindo as seguintes faixas de idade:

Idades sindrome de tourette

Diferentes idades e o aparecimento da síndrome de Tourette.

O impacto de se conviver com os sintomas é grande, o preconceito por parte da sociedade e a falta de conhecimento sobre a doença também. Isso gera muitas dificuldades e interfere na qualidade de vida das pessoas que lidam com a síndrome.

As causas que fundamentam as manifestações clínicas da síndrome de tourette ainda não são muito claras.

Mas acredita-se, que a sua principal causa, seja uma falha dentro do sistema neurológico, especificamente no globo pálido (figura 1), parte responsável pela nossa coordenação motora. Essa falha, suprime impulsos que precedem os movimentos e desencadeiam os sintomas.

Sistema envolvido sindrome de tourette

Parte do sistema neurológico envolvido na Síndrome de Tourette

É um transtorno que pode ser hereditário, e que geralmente se manifesta durante a infância. São raros os casos de Tourette grave em adultos.

Acredita-se que os homens sejam mais susceptíveis a desenvolver os sintomas da síndrome do que as mulheres.

Ressalta-se que o tratamento é essencial e ajuda na melhora da qualidade de vida, mas essa doença não tem cura.

Alguns sintomas da síndrome:

Os sintomas variam muito de uma pessoa para a outra.

Eles podem ser tiques motores ou sonoros:

  • Motores: Piscar de olhos, contrações da boca;
  • Sonoros: Aspirar com força, estalar a língua;

Que podem ser divididos em tiques mais simples ou mais complexos:

  • Simples: caretas, encolher ombros, produção de ruídos
  • Complexos: saltar, tocar outras pessoas, repetir palavras e dizer palavrões

Todos estes sintomas causam um certo desconforto e dificuldades para os portadores da síndrome.

No entanto, existem formas de tratamento que são eficientes e ajudam a amenizar os sintomas.

Algumas formas de tratamento são mostradas a seguir:

Formas de tratamento que atualmente são disponíveis:

  • Psicoterapia; foco em modificação de comportamentos.
  • Medicamentos; antipsicóticos.
  • Terapia comportamental;
  • Exercícios de respiração;
  • Atividades de que reduzam o estresse;

Na lista acima, vemos alguns exemplos de tratamento. O uso de medicamentos é o mais utilizado para casos graves.

Apesar de apresentarem melhora nos sintomas, causam diversos efeitos colaterais, tal como: sonolência, aumento de peso, raciocínio lento, depressão, dentre outros.

Assim, o uso da maconha medicinal vem sendo adotado por muitas pessoas. Uma maneira alternativa, com poucos efeitos colaterais, que tem mostrado excelentes resultados, principalmente em casos mais graves da doença.

Veja mais a seguir:

Por que a maconha é utilizada no tratamento da síndrome de tourette e como ela pode ajudar as pessoas?

Bom, antes de iniciar, vamos entender quais os princípios ativos que nos interessam na maconha, e como eles atuam dentro do nosso organismo.

Primeiro, vamos compreender melhor o que são os canabinóides, e o que é o sistema endocanabinóide, um dos sistemas neurológicos mais importantes presentes em nosso corpo.

Os componentes da maconha que são utilizados para fins terapêuticos são conhecidos como canabinóides.

São mais de 70 canabinóides já identificados, todos eles atuando de maneira sinérgica para promover um diferente efeito medicinal da cannabis.

Os canabinóides têm sido explorados como forma de tratamento há muitos anos, e desde 1980 são feitos estudos relacionados a síndrome de tourette.

O Delta-9-tetrahydrocannabinol (THC) é o canabinóide mais conhecido, e já teve seus efeitos benéficos na redução dos sintomas de muitas doenças reconhecido.

E mais recentemente, o canabinóide CBD também teve seu efeito anticonvulsivante, anti-inflamatório e anti-emético comprovado.

Como os canabinóides atuam no nosso organismo:

Olha que interessante: – você sabia que o corpo-humano conta com um sistema receptor específico para as substâncias advindas da cannabis ???

Esse sistema é conhecido como sistema canabinóide.

De acordo com pesquisadores, é o sistema fisiológico mais importante em termos de manutenção e estabelecimento da nossa saúde corporal.

Os receptores canabinóides estão presente em todo o corpo. Até hoje foram identificados dois sistemas receptores principais, o CB1 presente principalmente no sistema nervoso e órgãos; e CB2, encontrado no sistema imunológico e em outras estruturas associadas.

Acredita-se que ele sejam mais numerosos do que qualquer outro tipo de sistema receptor do nosso organismo e estejam relacionados com uma infinidade de processos.

Receptores canabinoides

Receptores canabinóides espalhados pelo corpo

Agora você deve estar se perguntando….

Por que o nosso corpo tem um sistema receptor exclusivo para as substâncias presentes na maconha?

A resposta é a seguinte:

O nosso corpo produz naturalmente algumas substâncias conhecidas como “endocanabinóides”, com atividades similares às do canabinóides e que servem para estimular os receptores, causando a sensação de bem estar e promoção da saúde.

Assim, o uso medicinal da maconha, possibilita a ativação destes receptores. Refletindo em um sistema imunológico mais forte, com maior potencial de tratar os sintomas e até mesmo de curar certas doenças.

Além disso, o uso terapêutico também contribui para um aumento da produção endógena de canabinóides, o que potencializa os efeitos medicinais da maconha.

Dessa maneira, podemos perceber que o uso da cannabis estimula um dos sistemas fisiológicos mais importantes do nosso organismo, e que geralmente, opera em baixa intensidade.  

A maconha como forma de tratamento

A cannabis tem se mostrado muito eficiente no tratamento dos sintomas causados pela síndrome de tourette.

Em 1999 um estudo feito de maneira aleatória, comparou o uso da cannabis  com medicamento placebo e relatou que o uso de uma dose única de THC em 12 pacientes mostrou uma melhora dos tiques, ansiedade e irritabilidade dos pacientes.

Remédios de maconha

Uma das formas de comercialização da maconha medicinal

Um resultado parecido foi encontrado em um estudo publicado em 2003, o estudo foi realizado durante seis semanas, com aplicação de THC em 24 pacientes, as dosagens foram de até 10 mg. Também foi observado uma melhora significativa dos tiques e problemas motores.

A pesquisadora Kirsten Müller-Vahl, da Faculdade de Medicina de Hannover, é uma das referências e pioneira na condução de estudos a respeito dos efeitos da cannabis no tratamento da síndrome de tourette

Em Julho de 2015, aconteceu em Londres o Primeiro Congresso Mundial sobre síndrome de Tourette.

A pesquisadora Alemã, apresentou resultados de um experimento que comparou o uso do medicamento dronabinol, à base de THC e CBD, e o uso de maconha via fumo.

Seus resultados mostraram que a maconha fumada tem um efeito mais rápido para o controle das crises, mas de curta duração. Enquanto que o medicamento tem um efeito mais demorado, mas com uma duração maior.

Dessa forma, o médico deve orientar, mas cabe ao paciente decidir qual a melhor forma de uso.

No Brasil, já é possível que medicamentos aprovados em testes que contenham canabidiol e THC sejam importados para o tratamento da ST.

O único inconveniente, são as altas taxas e custo de importação desses medicamentos à base de canabinoides.

A seguir um estudo de caso real comprovando o efeito benéfico da maconha para o tratamento da síndrome de tourette:

Esse é um relato sobre um jovem paciente alemão, que tinha 19 anos de idade na época do estudo, e que recebeu cannabis medicinal a uma dosagem 0,1 g – 0,6 g diariamente.

Ele nasceu prematuro com 36 semanas e precisou ficar em observação por 10 dias. Não tinha histórico familiar da doença. No entanto, quando completou 3 anos, os primeiros sintomas apareceram e começaram a se manifestar na forma de problemas na fala.

Desenvolvimento dos primeiros sintomas da Síndrome de Tourette

Na época, o paciente recebeu tratamento convencional com medicamentos, que possibilitou certa melhora nos sintomas.

Um certo tempo depois, começou a apresentar sintomas de gagueira, e já quando tinha 7 anos de idade, começou a apresentar tiques motores mais sérios.

A esse ponto, o paciente exibia um quadro mais severo de sintomas; piscar os olhos, balançar a cabeça, enrijecer a parte superior do corpo e chutes no ar, eram alguns deles.

Ao longo de sua adolescência, foi submetido a uma série de tratamentos que iam desde uso de medicamentos até acompanhamento com psicólogo. Mas todos, com pouca efetividade.

Surge um novo tratamento: A maconha medicinal

Sem demonstrar melhoras e apresentando efeitos colaterais graves por conta das medicações, na idade de 19 anos, o paciente optou por iniciar o tratamento com a maconha medicinal.

Na época, seu plano de saúde se recusou a cobrir os custos com o caro tratamento utilizando o medicamento nabiximol.

Então, ele buscou uma forma mais barata de fazer o uso terapêutico da maconha.

Baseado em uma permissão fornecida pelo governo da Alemanha, conseguiu iniciar o tratamento com 0,1 g de maconha medicinal, que posteriormente foi ajustado para 0,6 g, contendo 22% THC e 1% CBD uma vez por dia.

A maconha era utilizada via vaporização.

Melhora na qualidade de vida

Depois de 8 meses, o paciente apresentou melhoras significativas nos sintomas. Ele já era capaz de conversar plenamente em qualquer tipo de situação, o que antes não era possível devido às crises de gagueira.

As melhoras também foram visíveis para outros tiques, como por exemplo nos movimentos involuntários de balançar a cabeça e chutar o ar.

Estimou-se que a redução nos tiques foi de cerca de 70% e o paciente relatou um sentimento de paz e tranquilidade durante os dias.

Nenhum outro tipo de efeito colateral foi relatado durante esse período.

A melhora na qualidade de vida foi impressionante!!

É incrível como o uso terapêutico da maconha mudou a vida desse paciente, você não achou?

Essa é apenas uma de muitas outras histórias que demonstram todos os benefícios da cannabis para o tratamento da síndrome de tourette.

Conclusão

Os sintomas da síndrome de tourette afetam a qualidade de vida das pessoas, e controlá-los significa melhorar a qualidade de vida e os relacionamentos pessoais e profissionais.

Aqui nós falamos sobre o diagnóstico da síndrome, seus sintomas, abordamos formas de tratamento convencionais e os benefícios do uso da maconha medicinal.

Existem inúmeros estudos científicos que mostram forte relação entre o uso da cannabis e a melhora nos sintomas da doença, como o estudo de caso que foi apresentado aqui.

Agora que você já conheceu mais sobre o uso terapêutico da maconha, é possível considerar esta forma de tratamento alternativa, ou até mesmo recomendá-la para algum conhecido que esteja buscando algo parecido.

Hoje em dia, existe muita informação de qualidade a respeito do potencial medicinal da cannabis, inclusive, você pode encontrar mais informações sobre outras aplicações navegando pelo nosso blog.

Aproveite!!

Eaí, gostou do artigo? Gostaria de saber mais sobre a Síndrome de Tourette e o papel da Maconha no seu tratamento? É só deixar um comentário, nós podemos te ajudar!

Posts recentes

Veja mais