As 10 strains mais famosas do Brasil

Algumas strains de Cannabis já criaram uma reputação tão memorável que são conhecidas por maconheiros em qualquer canto do país ou do mundo.

Estas variedades ganharam seu status e reputação no mercado sempre através de alguma característica única provinda da genética em questão. Às vezes um aroma  muito peculiar, talvez sua colheita tenha um rendimento absurdo, algumas de destacam na produção de tricomas , outras na sua habilidade de produzir canabinóides, etc.

Qualquer que seja a razão para sua notoriedade, estas strains são o que há de melhor no mundo da Cannabis, sejam elas novas genéticas que abalaram o mercado ou linhagens tão antigas que já atingiram o status de lendas na indústria.

O Mapa da Maconha preparou para você esta lista com o que acreditamos ser as 10 strains mais populares do Brasil. A lista foi criada com base na popularidade das strains nos mecanismos de pesquisas online e também com o que recebemos de informações de vocês, nossos visitantes, seja por meio de e-mail ou redes sociais.

Vale começar ressaltando que a lista não está em nenhuma ordem de popularidade em particular. Começaremos com apenas uma strain e depois soltaremos uma nova a cada par de dias, fique ligado no blog para conhecer todas!

Aproveite!

 

Jack Herer
Jack Herer

Foto: High Supplies

Jack Herer foi um ativista em favor da Cannabis cujo livro “O Imperador está nu” publicado em 1985 continua até nos dias de hoje sendo um valioso recurso na luta pela descriminalização e legalização da maconha.

Como pessoa, Jack Herer foi um indivíduo que lutava intensamente pela legalização do cânhamo e da maconha. Sua luta há de ser considerada e valorizada por ter se passado em uma época onde a legalização da erva não era nem considerada como possibilidade na maioria do mundo.

Por toda sua luta e história de vida, a strain criada pela Sensi Seeds na década de 90 recebeu o nome de Jack Herer, em homenagem ao ativista.

A genética é uma mistura de uma Northern Lights#5, Shiva Skunk e Haze, o que criou uma harmoniosa associação entre o efeito energético e eufórico das Sativas com a grande produção de resina das Indicas.

 

Clique aqui para conhecer tudo sobre seus efeitos, usos medicinais e traços de cultivo!

 

Sour Diesel
Sour Diesel

Foto: Alchimia Web

A Sour Diesel é uma genética quase que puramente Sativa, sua proporção girando em torno de 90% Sativa e 10% Indica faz com que quase não existam traços dos efeitos da Indica na planta.

Embora sua história genética não seja 100% conhecida, sabe-se que ela foi criada na década de 90 e provavelmente se originou de um cruzamento entre ChemDawg 91 e Super Skunk, duas strains consideradas extremamente potentes.

O nome Diesel não está na strain à toa: A genética exala um cheiro extremamente forte que lembra gasolina ou diesel, com notas cítricas ao fundo (O que também explica o nome Sour, que em inglês significa azedo).

 

Clique aqui para ler a ficha completa da strain e saber tudo sobre seus efeitos, uso medicinal, origens e dicas de cultivo!

 

White Widow
White Widow

Foto: Amsterdam Seed Center

Muito famosa por sua produção de tricomas fora do comum, a White Widow é um híbrido balanceado criado pela Green House Seeds. Feita a partir de uma cruza entre uma Sativa brasileira selvagem e uma Indica indiana carregada de tricomas, a White Widow é prato principal nos menus de todos os coffee shops da Holanda desde sua criação na década de 90.

A strain já foi campeã da High Times Cannabis Cup em 1995 e vem acumulando diversos outros prêmios desde então. Como já dito, a strain ganhou popularidade devido à sua intensa produção de tricomas, o que faz com que ela seja extremamente valorizada na produção de haxixe. 

 

Acesse aqui a ficha completa da strain e saiba de todos seus detalhes sobre efeitos, origens, uso medicinal e dicas de cultivo!

 

Purple Haze
Purple Haze

Foto: Leafly

Popularizada pelo clássico de Jimi Hendrix “Purple Haze” lançado em 1967, essa strain sativa-dominante (85% Sativa/15% Indica) é uma das mais famosas de todo o mundo.

Acredita-se que a genética foi criada a partir de uma cruza entre “Purple Thai” e “Haze” que transmitem uma mistura de sabores doces e terrosos ressaltados por notas de frutos silvestres e especiarias.

A strain nem sempre produz buds roxos. Alguns growers dizem que diminuir a temperatura da sua sala de cultivo pode ajudar na manifestação da cor roxa, porém a cor terá efeito apenas na estética e não se relaciona com a potência da erva.

Clique aqui para conhecer tudo sobre seus efeitos, usos medicinais e traços de cultivo!

Colombian Gold
Colombian Gold

Foto: Lamota

Uma clássica genética de Sativa selvagem oriunda das montanhas de Santa Marta na Colômbia, essa strain é uma das mais antigas e queridas por aí, tendo tido seu auge de popularidade na década de 60.

A strain deu origem à famosa Skunk #1, um híbrido que se tornou referência de qualidade de cultivo na indústria da Cannabis.

Os buds da planta são de tamanho pequeno a médio e possuem um tom verde claro misturado aos tricomas de cor amarelo-alaranjada, fazendo com que pareçam quase dourados, daí o nome da espécie.

Clique aqui para conhecer tudo sobre seus efeitos, usos medicinais e traços de cultivo!

 

Northern Lights
Northern Lights

Foto: Leafly

A Northern Lights é uma strain puramente Indica e com certeza uma das mais famosas do mundo. Descendente de genéticas selvagens do afeganistão e tailândia, a Northern Lights já deu origem à diversas strains famosas como Shiva Skunk e Super Silver Haze.

Diz a lenda que a genética foi criada na costa oeste dos Estados Unidos, em Seattle, porém foi propagada e popularizada em 1985 na Holanda pela Sensi Seeds.

Seu cheiro é forte e levemente apimentado, e emana fortemente de seus buds que são cobertos de tricomas cristalizados. Em algumas plantas, os buds podem adquirir uma coloração roxa.

Clique aqui para conhecer tudo sobre seus efeitos, usos medicinais e traços de cultivo!

 

Fique ligado no blog para conhecer o resto da lista!

 

Infelizmente sabemos que o acesso à essas maravilhas ainda é crime em nosso país, mas nunca iremos parar de lutar para que chegue o dia em que possamos cultivar e utilizar legalmente nossas plantas em casa.

 

Gostou do post? Ficou faltando alguma informação? Conte-nos o que achou! Deixe seu comentário abaixo!

 

Posts recentes

Veja mais