Maconha medicinal no Brasil: 6 Associações que você precisa conhecer

Sem fins lucrativos, sem apoio governamental, em muitos casos sem nem mesmo o apoio da comunidade local. 

As associações brasileiras de maconha medicinal desafiam o sistema em busca de uma vida digna aos pacientes e na luta dos direitos de pesquisa acadêmica da planta.

Se você tem alguma dúvida sobre o uso medicinal da maconha, sugiro que você veja o trabalho, quase impossível, dessas organizações.

Caso você tenha um familiar ou amigo na situação de paciente, vale a pena ver onde e como buscar apoio. 

De qualquer forma, ver pessoas se unindo para uma causa justa sempre é inspirador! Por isso, confira as 6 principais associações brasileiras envolvendo Cannabis:

1. Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (ABRACE Esperança)

Uma associação que quebrou e ainda quebra barreiras no Brasil, além de já ter atendido mais de 900 pacientes em todo o país. 

Essa é a ABRACE, uma organização sem fins lucrativos, não governamental e a 1ª no Brasil a receber autorização judicial para o cultivo da maconha medicinal.

Com objetivo inicial de dar apoio às famílias que precisam de tratamentos com a Cannabis, especialmente crianças, hoje a associação vai bem além disso.

Para você ter uma ideia, funcionários fardados, diversos postos de trabalho e visitas de famílias de pacientes para saber melhor sobre a produção são a rotina da ABRACE.

Abaixo separamos os principais produtos e serviços da organização:

  • Acolhimento para encontrar todas as informações necessárias para o tratamento com maconha medicinal
  • Cultivo Legalizado e produção do Óleo Esperança: possuem laboratório bem equipado, inclusive agora com HPLC que determina os compostos do Óleo, além de farmacêuticos e químicos responsáveis pela produção
  • Apoio Jurídico: garante que o direito ao acesso a Cannabis seja respeitado
  • Orientação Médica: há médicos parceiros que podem realizar consultas e, se necessário, prescrever a Cannabis como tratamento
ABRACE maconha medicinal

(Fonte: ABRACE)

Como conseguir os derivados da Cannabis com fins medicinais na ABRACE?

Para conseguir o canabidiol da ABRACE você precisa da seguinte documentação: receita do médico, laudo médico, documentos pessoais, termo de adesão e o pagamento da taxa de adesão da associação. 

Lembrando que o óleo e derivados não são comercializamos pela associação, mas é preciso ser associado para ter acesso aos mesmos. 

Para esse cadastro você precisa dos mesmos documentos necessários para conseguir os derivados de Cannabis, depois disso membros da ABRACE vão entrar em contato com você para agendar sua ativação, o que demora de 1 a 2 meses.

Hoje a organização funciona na Zona Norte de João Pessoa, sendo que sua meta é conseguir autorização definitiva e até 2022 atender 10 mil pessoas.

Você pode entrar em contato com a ABRACE pelo telefone (83) 3243-1951, ou pelo email [email protected].

2.AMA+ME – Associação Brasileira de Pacientes de Cannabis Medicinal

A AMA+ME  trabalha de forma voluntária e colaborativa para consolidar e expandir os direitos dos pacientes de cannabis medicinal.

A associação foi criada por pacientes, familiares e colaboradores de diversas áreas, com o principal objetivo de garantir os direitos dos cidadãos quanto ao uso da Cannabis e seus derivados.

AMA+ME sabe que o desconhecimento e o preconceito são fortes barreiras que dificultam todo esse processo, por isso ela busca levar mais informações à população através de congressos e palestras.

Ainda nesse sentido, a organização também está próxima às Universidades através de incentivo e fomento para pesquisas acadêmicas.

Ama+me maconha

(Fonte: AMA+ME)

Além disso, parte do trabalho da associação é reivindicar a participação em conselhos governamentais ligados à política sobre drogas. A intenção é apoiar os Projetos de Lei que favoreçam as necessidades daquelas que precisam da maconha medicinal.

Para se associar à AMA+ME você deve residir no Brasil, ser maior de 18 anos e portador de doença que seja tratada com Cannabis medicinal.  Menores representados pelos responsáveis legais também podem se associar.

Como associado, você se torna integrante no planejamento e destinatário final dos produtos de Cannabis, os quais são provenientes do “Projeto de Cultivo Medicinal AMA+ME”.

Você também terá auxílio para encontrar um médico que prescreva Cannabis medicinal, caso esse seja seu caso.

Além disso, você poderá ter descontos e participar de compras coletivas de medicamentos a base de Cannabis, reduzindo o custo da importação.

Nesse sentido, é oferecido suporte na documentação requerida pela ANVISA, e orientação jurídica caso necessária.

Você pode entrar se associar e obter mais informações pelo site https://amame.org.br/ ou pelo email [email protected]

3.Liga Canábica

Desde 2014 a Liga Canábica, movimento social da Paraíba, luta para o uso terapêutico da maconha. É uma associação também sem fins lucrativos, e começou pela iniciativa de pais de crianças portadoras de epilepsia de difícil tratamento.

A Liga tem como objetivo garantir o direito da utilização da maconha medicinal. Para isso, a associação incentiva o debate do tema nas universidades, formando e ampliando as pesquisas com a planta.

Ela também atua na promoção de políticas públicas, em mudanças na legislação e na construção de alternativas de acesso para os pacientes.

Dessa maneira, a Liga Canábica busca hoje a construção de uma Política Nacional de Cannabis Medicinal,  fundada nas seguintes diretrizes e propostas:

  1. Regulamentação imediata do uso medicinal da Cannabis, de modo a atender ao que já está previsto na Lei 11.343/06, no Decreto 5.912/06 e legislações correlatas; 
  2. Criação uma linha de incentivo aos estudos e pesquisas sobre o uso medicinal da Cannabis em suas diversas formas;
  3. Criação e estruturação de uma rede nacional de laboratórios credenciados e equipados para apoiar as pesquisas, monitorando também a composição e a qualidade dos produtos medicinais derivados da Cannabis ssp.
  4. Promoção de estudos e pesquisas agronômicas com as plantas de Cannabis ssp de diversas variedades;
  5. Incentivo à formação de parcerias entre Universidades, Institutos de Pesquisa e Conselhos de classe de profissionais de saúde;
  6. Criação de um plano para o desenvolvimento da produção nacional de Cannabis Medicinal, envolvendo toda a sua cadeia, desde o plantio até a comercialização dos seus derivados. 

É possível se associar à Liga Canábica os pacientes de doenças que podem ser tratadas com maconha medicinal e/ou seus responsáveis , pesquisadores, profissionais da saúde, jornalistas e profissionais do meio da comunicação, além de outras pessoas que conhecem e desejam transmitir os benefícios da maconha medicinal para a população.

Você pode entrar em contato com o movimento pelos telefones (83) 99813-1050 e (83) 98854-1833, ou pelo email: [email protected]

Liga Canábica maconha medicinal

(Fonte: Liga Canábica)

4.Apoio à Pesquisa e à Pacientes de Cannabis Medicinal – Apepi

A Apepi tem como principal objetivo a regulamentação da produção de maconha medicinal, com apoio à pesquisa e a divulgação dos benefícios do uso terapêutico da planta para a população em geral.

A associação é do Rio de Janeiro, e nasceu da necessidade do uso da Cannabis para o tratamento de doenças.

Apepi maconha medicinal

(Fonte: Apepi)

Por isso, ela apoia os familiares de pacientes que precisam desse uso da maconha, além de fornecer maiores informações sobre o tema, conscientizando e lutando contra o preconceito.

Além disso, a associação também promove o cultivo da cannabis e facilita o acesso aos derivados da Cannabis para os pacientes.

Ao se associar à Apepi você ajuda nesses trabalhos, recebendo todas as informações das ações da associação, além de descontos em produtos e serviços relacionados ao uso terapêutico da cannabis.

Para isso, é só entrar neste site da Apepi, preencher o formulário de cadastro e escolher um método de pagamento referente à associação.

5.Associação para Pesquisa e Desenvolvimento da Cannabis Medicinal no Brasil – CANNAB

De Salvador, Bahia, a Cannab é uma organização que apoia e dá suporte aos pacientes de doenças que podem ser tratadas com maconha medicinal, em especial a epilepsia refratária.

A Associação ainda quer a autorização para realizar o plantio, estudo e pesquisa para fins medicinais e científicos da Cannabis.

CANNAB maconha medicinal

(Fonte: CANNAB)

A associação tem o suporte de médicos e profissionais de diversas áreas para estudar e desenvolver soluções para fornecimento dos medicamentos à base de maconha.

Você pode ver mais sobre a associação nesta entrevista em que o presidente da Cannab concedeu:

Para mais informações entre em contato pelo email [email protected] .

6.Sociedade Brasileira de Estudos da Cannabis – SBEC

A SBEC é uma associação científica sem fins lucrativos e duração indeterminada. Ela atua em todo território brasileiro, mas também tem parcerias internacionais.

O grupo é formado por médicos e pesquisadores de Cannabis medicinal que buscam ser referência nos estudos científicos quanto ao uso terapêutico da planta.

SBEC maconha medicinal

(Fonte: SBEC)

Se você é profissional da área e quer maiores informações, a associação fica em São Paulo e o e-mail de contato é o [email protected] .

Conclusões

Mesmo desafiando todo o sistema burocrático e preconceituoso brasileiro, as associações conseguem fazer um trabalho muito relevante no país.

Sejam nas pesquisas, no apoio jurídico ou no próprio fornecimento de medicamentos derivados da Cannabis, essas organizações podem auxiliar e facilitar a vida de quem mais precisa.

Agora que você já sabe do trabalho tão valioso e como contatá-las, aproveite para ajudar e disseminar esse conhecimento!

 

Sabe de mais alguma associação que não citamos aqui? Conhece o trabalho de algumas delas? Deixe seu comentário!

Posts recentes

Veja mais