Growroom: Como montar seu espaço de cultivo

O primeiro passo para iniciar seu cultivo caseiro de maconha Indoor sem dúvidas é a escolha do espaço pois obviamente não podemos começar sem ele.

Muitos growers de primeira viagem acham que começar seu próprio growroom é um processo muito difícil, complicado e que requer muito tempo e dinheiro, mas a realidade não é bem essa.

A primeira coisa que gostaria de te falar é que você não precisa de uma estufa profissional para começar: Qualquer lugar com acesso à água e ar fresco servirá: Um armário, uma garagem, um cômodo vazio, um porão, um sótão ou mesmo uma estufa própria para o grow.

Sabendo disso, há algumas coisas que você deve levar em conta ao escolher o seu espaço:

Pense no tamanho de tudo junto

Quando arquitetando o espaço, você deve pensar não só no tamanho que suas plantas irão ficar, mas também no espaço para as luzes, ventiladores, cabos e outros equipamentos, além de deixar espaço para você manusear a erva quando necessário. Lembrando que você pode controlar o tamanho de suas plantas por meio do ciclo de luz. Se quiser, pode optar por começar a fase de florescimento antes do recomendado para que elas fiquem menores e economizem espaço.

O espaço deve ser à prova de luz

Um critério crucial ao escolher seu espaço. Você pode usar lonas ou outros artifícios para deixar seu espaço à prova de luz, mas faça com cuidado e certifique-se que não haverá entrada de luminosidade nos períodos que as lâmpadas ficarão desligadas. Entradas de luz nos períodos em que a erva era para estar completamente no escuro podem estressar a planta e aumentar a chance dela produzir flores masculinas.

A temperatura do local também é importante

Se o espaço escolhido já for muito quente ou muito úmido, você pode ter rendimentos abaixo do esperado se ignorar e não controlar estas variáveis. Escolher uma área seca e com acesso constante ao ar fresco é de suma importância.

Armários, porões e sótãos são preferência de vários growers. Apesar de normalmente serem locais apropriados, lembre-se de conferir a ventilação e umidade do local. Se o local escolhido tiver mofos ou fungos nas paredes, isso significa que a umidade ali está elevada e o ambiente está propício para o crescimento de micro organismos que podem atacar suas plantas no futuro.

Acesso

É necessário monitorar as plantas de Cannabis todos os dias, principalmente os iniciantes, para ter certeza que tudo está correndo bem. Se o local escolhido não for de fácil acesso este monitoramento pode ficar prejudicado, assim como as plantas.

Exposição

Por mais que conheça sua vizinhança, ninguém quer espalhar por aí que tem um grow em casa. Tente encontrar um local que o barulho dos ventiladores não possa ser percebido por vizinhos enxeridos ou mesmo por ladrões atrás de suas preciosas plantas. Em relação ao cheiro, vamos ver mais na frente que podemos usar alguns artifícios para que o odor canábico não se espalhe pela casa.

Resumindo, você precisará de um lugar com as seguintes características:

  • Arejado
  • De fácil acesso
  • Escondido de visitantes indesejados
  • Que não entre luz ao dia (Ou que você possa fechar com lonas)
  • De um tamanho aceitável para caber suas plantas e equipamentos.
Como montar seu cultivo de maconha

Foto: Growace

Luzes de cultivo, qual a diferença entre elas?

Agora que o seu lugar de cultivo já está definido, está na hora de um dos passos mais importantes do grow: A escolha das luzes.
A qualidade das suas luzes será o fator determinante na qualidade e quantidade da sua colheita, então o recomendado é comprar as melhores luzes possíveis dentro de seu orçamento. Não economize neste passo pois luzes de baixa qualidade produzirão plantas de baixa qualidade.

Aqui vai um pequeno resumo dos tipos mais populares de luzes para cultivo de Cannabis e seus prós e contras.

Tabela: Diferença entre as luzes para cultivo da Cannabis

Lâmpadas HID (High Intensity Discharge)

As lâmpadas HID atualmente são o padrão na indústria da maconha pela sua combinação de eficiência, valor e rendimento.

Elas custam um pouco mais que as lâmpadas fluorescentes porém produzem muito mais luz por unidade de eletricidade. Quando comparada aos LEDs elas perdem na eficiência do uso de energia, mas custam apenas uma fração do preço de sua equivalente em LED.

As lâmpadas HID possuem dois principais tipos:

  • Metal Halide (MH):Produz uma luz mais branca-azulada e é recomendada para uso no período vegetativo, apesar de poderem também ser usadas no estado de floração (Com rendimentos menores, claro)
  • Lâmpada de Vapor de Sódio de Alta-Pressão (HPS): Produz uma luz vermelho-alaranjada e é perfeita para a fase de floração da planta. As luzes HPS apresentam melhor rendimento por Watt de eletricidade que qualquer outra luz de cultivo, por isso sua popularidade tão grande no mercado.O grande problema das lâmpadas HPS é que elas produzem muito calor. Para espaços pequenos elas não podem ser uma boa escolha pois você teria de gastar muito mais em exaustores e/ou ventiladores.

Prós:

  • Tipo mais eficiente de lâmpada para cultivo (Maior rendimento / Watt)
  • As HPS são consideradas as melhores lâmpadas para a fase de floração

Contras:

  • Gera muito calor
  • Necessita de reator, refletor e exaustor próprio por causa do calor gerado
  • Possui um preço intermediário porém uma vida útil relativamente pequena
  • Mais complicadas de instalar
  • Consumo de energia elevadíssimo

Lâmpadas Fluorescentes

As lâmpadas fluorescentes vêm em diferentes tamanhos e formas e são muito populares para growers pequenos por algumas razões:

  • São lâmpadas mais baratas que suas concorrentes e geralmente mais fáceis de instalar por já virem com o reator e refletor (se necessário) no pacote.
  • Não produzem muito calor então não necessitam de um sistema de refrigeração próprio.

Há dois tipos mais usados de lâmpadas fluorescentes:

  • Lâmpadas CFL 

Lâmpadas CFL possuem o bulbo retorcido e normalmente podem ser achadas em qualquer lugar que vende lâmpadas normais. Elas produzem um ótimo espectro de luz para as plantas e têm a vantagem de serem pequenas então podem facilmente ser instaladas em um grow com espaço reduzido, em um armário por exemplo.

  • Lâmpadas T5 

As lâmpadas T5 também quase não produzem calor e podem ser deixadas à centímetros das plantas sem ocasionar queimadura por luz nelas, sendo ideal também para espaços mais reduzidos.  Além disso elas são usadas para cultivar várias outras plantas, então podem ser facilmente encontradas em lojas de jardinagem ou de construção.

Prós:

  • Lâmpadas mais baratas do mercado atualmente
  • Usam pouca eletricidade
  • Achadas facilmente no comércio
  • Produzem pouco calor
  • Não precisam de muito espaço entre elas e as plantas (Ótimas para grows pequenos)
  • Uma das melhores luzes para clones, plântulas e plantas jovens. Lâmpadas maiores têm de ficar muito longe das plantas jovens, o que gasta muita luz e eletricidade. Usando lâmpadas menores como as fluorescentes você pode economizar alguma energia nas primeiras semanas da planta se comparado às HPS ou LED.

Contras:

  • Por serem mais fracas produzem rendimentos e, as vezes, qualidade menor que as outras lâmpadas.
  • Não penetram bem na planta, ou seja, são mais recomendadas para plantas pequenas e robustas. Não possuem potência suficiente para uma planta alta no estado de floração

Lâmpadas de LED

A tecnologia de lâmpadas de LED está no mercado há um bom tempo, porém apenas recentemente começou a ser adaptada para oferecer os espectros de luzes perfeitos aos growers.

As vantagens das luzes de LED é que elas têm uma vida útil muito maior, usam menos energia, produzem menos calor e os produtos de melhor qualidade oferecem o espectro de luz perfeito para suas plantas, o que pode levar à maior rendimento e qualidade.

O grande empecilho aqui são os preços: Um LED de alta qualidade pode chegar a custar até 10x mais que seu equivalente em lâmpadas HPS. Vale ressaltar, porém, que o investimento inicial será menor que os outros se o relacionarmos à vida útil da lâmpada.

Por causa da grande popularidade que os LEDs ganharam no mercado nos últimos anos, várias marcas e produtos de baixa qualidade vêm sendo lançados para tentar enganar os cultivadores em comprá-los. Se você encontrar um produto com o preço muito abaixo dos outros, desconfie.

Algumas das marcas mais recomendadas por growers de todo mundo são:

  • ViparSpectra
  • Advanced Platinum
  • Galaxy Hydro
  • Kind LEDs

A dica para escolher seu LED é pesquisar bem antes de comprar. Procure saber quais são os melhores produtos disponíveis para as especificações do seu grow antes de gastar seu dinheiro suado.

Prós:

  • Normalmente já possuem sistema embutido de resfriamento
  • Muito fáceis de serem instaladas
  • Modelos melhores produzem o espectro de luz perfeito para a absorção das plantas, gerando ótimos rendimentos
  • Vida útil muito longa, uma luz de qualidade pode durar até 10 anos
  • Gasto de energia bem menor que as HID

Contras:

  • Dependendo do tamanho também geram um calor considerável
  • Costumam ter que ficar mais afastadas das plantas, requerendo um espaço de cultivo maior
  • Investimento inicial muito caro
  • Requer pesquisa e atenção na hora da compra: Muitos LEDs estão no mercado apenas para enganar os consumidores e não apresentam a potência nem o espectro de luz próprio para o grow.

Aparelhos para controle, monitoramento e ventilação

Ventilação

Todas as plantas precisam de ar para prosperar. O dióxido de carbono (CO2) é indispensável no processo de fotossíntese então o seu espaço de cultivo irá precisar de uma corrente de ar constante passando por ele.

Isso pode ser facilmente feito com um exaustor e alguns tubos, ou, dependendo do espaço, um simples ventilador já pode ser o suficiente.

Você deve se assegurar que a temperatura se mantenha numa faixa confortável para suas plantas: De 20-30ºC quando as luzes estão ligadas e de 15-20ºC quando estão desligadas. Algumas variedades de Cannabis, geralmente Cannabis Indica, preferem faixas de temperatura menores, enquanto outras são mais adaptadas à faixas mais altas.

O tamanho e número dos exaustores necessários dependerá exclusivamente do tamanho do seu espaço de cultivo e das lâmpadas que você escolher. Por exemplo, lâmpadas HID produzem muito calor, então necessitarão de muito mais ventilação que lâmpadas fluorescentes.

Recomenda-se ligar suas luzes por um tempo para depois tentar determinar quanta corrente de vento seu grow necessitará para manter uma temperatura confortável para suas plantas.

Mesmo que você opte por instalar um exaustor, ter um ventilador de baixa potência no espaço também é recomendado pois a leve corrente de ar pode ajudar a fortalecer o caule das plantas e evitar mofo e insetos voadores.

Vale lembrar que na época de floração as plantas exalam um odor forte e nem todos querem esse cheiro se espalhando pela vizinhança. Para isso é possível usar um filtro de carvão ativado no seu exaustor e facilmente se livrar do cheiro exalado. Ressaltando também que os filtros de carvão têm de ser substituídos a cada 12 meses em média.

Exemplo de filtro + exaustor

Aparelhos de controle

Agora que você já escolheu os equipamentos e luzes da sua estufa, está na hora de automatizar as funções.

Apesar de já existirem vários aparelhos sofisticados para controle de umidade, temperatura, níveis de CO2 e muitos outros, o grower iniciante precisará apenas de um timer para seu cultivo prosperar.

Timer 

Timer

O ciclo de dia/noite (Luz ligada/Luz desligada) é extremamente importante quando estamos cultivando Cannabis. As plantas precisam de 16-20 horas de luz por dia no estado vegetativo e de 12 horas de luz por dia em seu estado de floração.

O timer ou temporizador é indispensável pois é necessário que as luzes desliguem e liguem nos mesmos horários todos os dias para não correr o risco de estressar suas plantas.

A boa notícia é que os timers são muito baratos e fáceis de encontrar. Custam em média R$40 e podem ser encontrados em lojas de eletrônicos, construção, ou ser adquirido com facilidade pela internet.

Kit de controle do pH

Também é recomendado ter um kit de teste de pH em mãos para testar o pH da sua água, solo ou solução de nutrientes. A Cannabis prefere um pH entre 6 e 7 no solo e entre 5,5 e 6,5 no meio hidropônico. Deixar o pH sair dessa faixa pode levar ao bloqueio da absorção de nutrientes, o que significa que suas plantas não irão conseguir absorver os nutrientes, mesmo que a fertilização esteja em dia.

Medidores de pH, assim como o timer, são baratos e fáceis de encontrar. Você pode optar pela opção “descartável”, que são os medidores em fita próprios para aquário e custam em média R$10. Esses medidores servem apenas para medir o pH da água, não medem o pH do solo. Há também a opção de comprar um medidor de pH da água digital, que custa em média R$30.

Medidor em fitas

Você também pode optar por medidores de pH do solo, que apesar de um pouco mais caros, não terão tanto peso assim no orçamento total, custando em média R$50.

Medidor de pH da água digital

Medidor de pH do solo

Vasos e substrato para cultivo

Como montar seu cultivo

Foto: Grow That Weed

Agora que você já escolheu um espaço e decidiu qual será a melhor lâmpada para o seu grow, está na hora de comprar os vasos e colocar a mão na massa!

Mas qual vaso escolher? Uma boa regra é ter em média 8L de volume a cada 30cm de planta. Essa regra não é perfeita já que cada planta possui sua genética própria, porém é um bom ponto de partida. Segue uma pequena tabela comparando o tamanho das plantas com o tamanho dos vasos que devem ser usados:

Planta de 30 cm Vaso com 8-12L
Planta de 60 cm Vaso com 12-18L
Planta de 90 cm Vaso com 18-26L
Planta de 1,20m Vaso com 25-35L
Planta de 1,50m Vaso com 30L +

Quando em dúvida, sempre leve o vaso maior. Plantas muito grandes em vasos muito pequenos terão suas raízes constritas e isso irá acarretar problemas de absorção de nutrientes, e, dependendo da proporção da constrição, pode levar até a morte da planta.

Com os vasos em mãos, você precisará de substrato para suas plantas crescerem!

Acesse este artigo que fala tudo sobre como preparar sua terra para plantar Cannabis!

Mãos à obra, vá montar seu growroom!

Agora que você já tem todas as informações necessárias, está na hora de botar a mão na massa e começar a montar seu espaço de cultivo! Escolha suas sementes e comece a trabalhar!

Como a parte prática da montagem irá variar muito de cultivo para cultivo, não podemos te dar um passo a passo aqui, mas conseguimos dar algumas dicas que irão te ajudar na hora de concretizar sua montagem.

  • Use braçadeiras, arames, barbantes, fita crepe ou outros artifícios para manter seus equipamentos no lugar, não há vergonha nenhuma se seu growroom ficar feio, o que importa são as belezinhas que irão crescer dentro dele.
  • Leia bem as instruções que virão com suas lâmpadas, timer, exaustores e outros aparelhos eletrônicos, siga-as à risca para não ter problemas na montagem.
  • Lembre-se de sempre desligar a energia da casa quando for mexer com a fiação do seu grow.

Agora você está pronto para montar o seu growroom caseiro! Depois que seu espaço estiver pronto, visite nosso guia de cultivo para saber os próximos passos para que suas plantas cresçam saudáveis, fortes e te façam ter uma onda que você não vai mais esquecer!

Ficou com alguma dúvida? Tem alguma dica de montagem que gostaria de compartilhar? Deixe seu comentário abaixo!

Posts recentes

Veja mais