Growroom: Cultivo de Cannabis em espaços fechados, o que você precisa saber para conquistar sua autonomia e liberdade

Introdução

Nós do Mapa sempre falamos que plantar a própria maconha vai muito além de ter belas flores para consumo, para nós, é algo muito próximo da liberdade, e ter um Growroom, ou seja, seu espaço de cultivo é o primeiro passo.

Liberdade através da racionalização do consumo: fumar apenas o que se planta exige planejamento, consciência e disciplina.

Liberdade por conhecer da origem e qualidade da própria maconha – Já pensou o tanto de substâncias diferentes que um usuário com 10 anos de consumo já fumou indiretamente?

Clique aqui para saber mais sobre redução de danos com as Meninas do GG que têm falado muito sobre o tema

Cultivar Indoor (dentro de casa) em casa pode parecer difícil, mas não é. Você pode imaginar qualquer cultivo como um receita de bolo.

Se você fornecer as condições corretas e tiver um paciência, principalmente no no inicio você com certeza irá se surpreender com os resultados do seu cultivo.

O post de hoje é uma parceria com a Homegrown, na nossa opinião a maior referência quando falamos  sobre estrutura de cultivo indoor no Brasil. Vale muito a pena conferir o trabalho do pessoal.

Vamos explicar de uma vez por todas a importância dos principais itens no seu Grow e a relevância de cada um deles nos estágio crescimento da planta e também na hora de montar seu espaço.

Cultivo Outdoor x Indoor: O que muda

Estufa Homegrown

Primeiramente é sempre bom lembrar, cultivo outdoor é aquele feito em ambientes externos com luz solar, nessa modalidade as plantas ficam sujeitas e quantidade e qualidade de iluminação variável, de acordo com a época do ano e local. (tanto das plantas como a região do planeta que você está)

No cultivo Outdoor é onde se consegue mais luz, nenhuma lampada compete com o Sol. Em algumas regiões você consegue o melhor ambiente possível em termos de temperatura, fluxo de ar e ventos (cria galhos mais fortes na planta) e quantidade de luz por dia, sem dúvidas uma experiencia única. Mas como as plantas estão expostas ao ambiente, ficam sujeitas a problemas como as pragas, o tempo irregular (chuva durante a flora, alguém?), animais, fotoperíodo e claro, sua segurança.

O Cultivo Indoor tenta replicar em um ambiente controlado ao máximo as condições mais favoráveis do ambiente externo e ao mesmo tempo busca eliminar os problemas que o cultivo feito fora de casa tem.

Em um Cultivo Indoor você reduz drasticamente a exposição das plantas a insetos, animais, ventanias e chuvas, sem contar que se você usar uma Growbox, tenda, Growroom ou Grow de armário você pode garantir a sua privacidade.

Outras vantagens do cultivo Indoor (dentro de casa):

  • Mais contato com as plantas. Você pode simplesmente abrir a porta do seu grow e ver como suas plantas estão, criando uma verdadeira conexão com suas plantinhas. Entender e acompanhar a evolução do ciclo da cannabis é incrível.
  • Maior aprendizado. Você começa a notar cada diferença na sua planta dia a dia, isso torna mais fácil a correção de qualquer problema e também acelera a sua formação como Cultivador, como Grower.
  • Cultivo indoor é a arte de replicar o cultivo outdoor, só que vai além: Dentro de casa (indoor) você pode constantemente melhorar e fazer testes no seu cultivo e growroom.

Alguns exemplos de acessórios de cultivo são: exaustores, luzes, ventiladores osciladores, hangers de regulagem de altura da iluminação.

Em termos de experimentos você pode fazer:  treinamento da galhos das plantas,  podas, técnicas com suportes como SCROG, e talvez até música clássica para as plantas. Sua imaginação é o limite!

Para um novo cultivador sem dúvidas o Cultivo Indoor é o mais indicado e mais fácil de começar.

Growroom: Cultivo dentro de casa – O básico bem feito

O cultivo indoor não é tão simples quanto colocar uma planta no vaso e colocar ela perto de uma janela. Principalmente porque o objetivo que você esta buscando resultados não é algo decorativo, afinal o que se busca com o Grow e o cultivo indoor é uma boa collheita e qualidade dos buds, as flores de cannabis.

Costumamos dizer que plantar não é difícil, longe disso, mas tem alguns detalhes que vão fazer toda a diferença no resultado final e você precisa ficar atento a eles.Vamos por partes.

Espaço para as plantas

O seu Growroom pode ser literalmente qualquer espaço! Qualquer tamanho, pois você pode treinar sua planta para se adaptar. Mas existem fatores relacionados ao seus espaço que você precisa observar, os principais são:

  • Entradas e saídas de ar. O Growroom ideal tem fluxo de baixo para cima:
  1. Puxa por baixo o mais frio, que é mais pesado e se concentra mais perto do chão da sala de cultivo onde está a Growbox, Tenda.
  2. Solta por cima e para fora do grow o ar quente e mais leve, ar já respirado pelas plantas e que ja resfriou a iluminação do Grow.

Instalação Elétrica do seu Growroom

ATENÇÃO: A instalação elétrica do seu Growroom é um dos tópicos mais importantes. Não erre ou economize aqui, os riscos de incêndio são reais e explicá-los posteriormente será um tanto complexo.

Dicas:

  • A parte elétrica do seu Grow pode ser muito bem uma régua, 4 tomadas e um timer para controlar a iluminação, ou ter um conjunto de itens mais robustos. Quanto mais itens e mais “pesados” forem seus materiais, mais atenção será necessária.
  • Faça sua instalação com tempo e capricho, revise pelo menos três vezes cada ponto de energia e conexão.
  • Fique sempre atento as correntes que os aparelhos do seu cultivo puxam quando ligados. Isso influencia na sua conta de energia como também na dimensionamento (grossura, capacidade) dos cabos e disjuntores utilizados na instalação elétrica da casa.
  • A maioria das tomadas em uma casa suporta de 10 a 20 Amperes (instalações novas). Uma Growbox por exemplo, consome 3A no 110v e 1,5A no 220v aproximadamente (assumindo uma iluminação de 250-300w reais).
  • Você precisa literalmente somar a energia que o conjunto de itens do seu Grow vai consumir e verificar se seus cabos, tomadas e disjuntores estão adequados para comportar o consumo.
  • Instalações elétricas: Você não economiza e  não vacila. Se necessário contrate um profissional.

GROWROOM: Odores, Ruídos e Visual do seu espaço de cultivo

Uma das principais dúvidas e receios dos cultivadores está relacionado ao cheiro forte que a planta exala principalmente nas últimas semanas de flora. A intensidade do cheiro varia de acordo com a espécie, quantidade de plantas, e do local e sua respectiva ventilação, mas pode ser realmente forte.

Como combater o cheiro das plantas de maconha: Odores podem ser combatidos 99% com filtros de carvão e exaustores e podem ser instalados antes ou depois do início do cultivo, de acordo com a necessidade.

Ruídos são gerados em sua maioria pelo ar movido pelo exaustor e podem ser reduzidos com o uso de silenciadores para exaustão, dimmers e com o uso do filtro de carvão.

Em termos visuais, existem cultivos que passam despercebidos e outros que são alvo de curiosidade. Fora ser discreto, um grow pode inclusive combinar com o ambiente onde ele esta instalado, parecendo uma decoração da sua casa ou quarto, como uma Growbox da Homegrown, Grow de armário, Grow de Geladeira e outros.
Existem diversos tipos de cultivos faça-você-mesmo que você encontra por aí, são grows que você mesmo monta em casa ao poucos, basta ter acesso a algumas ferramentas leves e um pouco de tempo para pesquisa e montagem, alguns exemplos são:

  • Grow no Armário
  • Grow de PVC
  • PCGrow
  • Grow de Madeira
  • Outro material que você tenha acesso/facilidade e consiga “isolar um espaço”

Para quem prefere algo profissional existem algumas opções que em alguns casos já vem pronta e montada. Vão bem na maioria dos de ambientes, para todos os gostos, bolsos e personalidades.

Exemplos:

Estufa Homegrown

Agora que você já escolheu ou construiu a plataforma (espaço mais intalação eletrica) de cultivo que você mais gosta você tem onde colocar suas plantas! Vitória!

Growroom nada mais é que ter um ambiente fechado para as plantas, é fundamental pois assim você pode protege-las contra insetos, entender as variáveis do processo,medir condições internas do cultivo e trabalhar com mais facilidade e privacidade.

Os espaço também é importante para controlar o totalmente o fotoperíodo das plantas.

Como já falamos fotoperíodo é basicamente a hora de dormir e acordar das plantas é o que regula os dois estágios do ciclo de cultivo: vega e flora.

Com uma Growbox ou qualquer outro Grow você tem um espaço fechado e isolado, o que te permite determinar com precisão a hora de dormir e de acordar da planta.

No seu cultivo indoor você esta no controle das estações do ano, definindo a duração em horas do dia e de uma noite na vida dessas plantas.  A tempo de iluminação do seu Grow é feito com uso de um Timer ou automação de cultivo.

Um cultivo sempre evolui com o tempo, com os ciclos, assim como o cultivador, através de suas experiências, testes, erro e acertos. O importante é não deixar os medos e dúvidas impedirem de começar.

Ter o melhor Grow e equipamentos logo inicio não é fundamental. Começar a Cultivar é.

Quais acessórios compõe um Grow?

Existem diversos tipos de acessórios para cultivo, mas existem aqueles acessórios que todo cultivador deve ter para garantir seu cultivo.

Vamos dividir essa lista em equipamentos Essenciais e Não essenciais. Essa não é uma lista completa, existem diversos tipos de acessórios e formas de fazer a mesma coisa, o importante é entender o por que de cada acessório e seu impacto no cultivo.

1-Iluminação:

Estufa Homegrown

Aqui é onde você vai gastar mais tempo e dinheiro! A boa novidade é que você pode gastar MUITO pouco construindo a sua própria ou pode pagar mais por uma das “últimas do momento”.

De início gostaria de dizer que HPS, HQI, tão fora. Eram (e ainda são) boas lâmpadas, mas quando comparadas com um LED dai a historia muda. Para iluminação do seu cultivo vamos focar somente em LED pois são a melhor tecnologia em termos de eficiência.

Muita gente procura painéis pelos “lumens”, isso não ajuda muito pois é uma unidade de medida para os humanos, para o olho humano. Idealmente procuramos pelo PPFD(“photosynthetic photon flux”) a fim de entender quanto de Luz útil para planta (no espectro que ela consegue absorver e fazer fotossíntese) foi entregue e temos o DLI que seria a mesma métrica mas para um dia todo de vida da planta. Dificilmente encontramos esses dados pois os equipamentos de medição ainda são caros. Se não houver o PPFD, você pode escolher paineis de LED pela potência real que ele puxam quando ligados. Quanto mais potência, mais luz(e mais necessidade de dissipação!!).

Em termos de espectro de luz, o “PAR Range” é a faixa de luz na cor que a planta consegue usar para fazer fotossíntese. Essa faixa vai dos 400(Ultravioleta) nanômetros até 700(Infravermelho). Em termos de LED compramos também pelo espectro, pela faixa de cores que o diodo, LED consegue emitir. Geralmente para um cultivo caseiro o CCT (espectro) mais ideal é o de 3500k, pois ele tem boas quantidades de luz azul e vermelha, que são as mais usadas durante o vegetativo e flora, tornando uma iluminação para todos estágios da planta. Existem outras boas como 3000k (mais para flora) e 4000k(mais para o Vegetativo) e complementos de luz como Far Red (730nm!) e UVA e UVB (abaixo dos 400nm).

Hoje (09/2020) para um cultivador caseiro e até mesmo em atividades comerciais a melhor iluminação chama “Quantum Board”. Pra falar verdade esse é um nome que a HLG (Horticulture Lighting Group) criou para um Circuito impresso feito em um chapa de alumínio de 2mm com diversos (100, 200, 300) diodos (LEDs) da Samsung.

Inicialmente os melhores eram os 561, rapidamente substituídos pelos lm301b e agora pelo lm301h, uma versão da que a Samsung fez justamente para o segmento de horticultura.

O termo popularizou rápido e dai todo mundo agora usa o termo “Quantum Board” mas na verdade o que buscamos sempre é somente o chip LM301H da Samsung.

Como montar o meu painel? Não é algo extremamente rápido e existem diversas formas. Geralmente o trabalho envolvido esta em pegar um Chip (LED) ligá-lo a um driver/fonte e a um dissipador de calor para manter o LED em temperaturas aceitáveis. Uma busca por “montar painel led cultivo” no Youtube apresenta diversos guias e growers como @Armariogrow(Instagram.com/armariogrow) tem diversos guias no instagram também sobre como você pode montar seu painel.

Uma coisa sobre LEDs, alguns são vendidos com potências muito altas como 1000w mas quando medidos na tomada, consomem 100, 200w. Algo a se ficar [email protected]! Um Wattimetro pode te ajudar nas medições de potência e consumo de aparelhos elétricos.

Para um espaço de 40x40cm (largura x comprimento) você geralmente tem 1-4 plantas e 65w de LED são suficientes para cobrir essa área.

Para um espaço de 60x60cm (largura x comprimento) você geralmente tem 1-4 plantas e 80w a 120w de LED são suficientes para cobrir essa área.

Para um espaço de 80×80 e maiores (largura x comprimento) você pode ter um número ainda maior de plantas e pode explorar com potências como 240w, 480w e até mesmo com CO2 para as plantas!

Todos exemplo são pensando em painéis de LED com chips da Samsung(lm301h), caso você vá comprar outros LEDs pode sempre usar um pouco mais de potência!

Um cultivo sempre evolui, você começa com o que pode e vai melhorando, no Geral até mesmo LEDs comprados no Mercado podem ser utilizados para um cultivo inicial, não espere a iluminação perfeita e mais cara!! Sempre faço tudo com o maior cuidado claro, mas eu mesmo já tive cultivadores da rede da Homegrown que tiveram ótimos resultados comprando 3 lâmpadas LED do Supermercado (Branco frio e Branco quente, vega e flora) e gastando R$100,00 no total!

2-Exaustores:

São imprescindíveis e fazem toda a diferença na lógica de movimentação de ar que explicamos acima. Basicamente você precisa de somente 1 ou 2 bons exaustores removendo ar do seu cultivo a todo tempo ou pelo menos na maioria do tempo.

Se você tem as entrada de ar por baixo no seu cultivo, ao remover ar constantemente por cima você cria uma pressão negativa onde o ar é sugado para dentro do seu Grow e ele entra por onde ele conseguir, mas sai somente por onde você quer, pelos seus exaustores (que geralmente tem outros acessórios ligados a eles, como silenciadores e filtros).

Renovar ar no seu cultivo é vital! Você sempre deve renovar todo ar do cultivo algumas vezes por minuto! Geralmente fabricantes de exaustores fornecem métricas como m3/h (metros cúbicos por hora) o que te permite calcular o tamanho do seu cultivo em metros cúbicos e ter uma ideia do dimensionamento da sua exaustão. Lembre-se que filtros, dutos longos e outros acessórios removem um pouco da potencia de qualquer exaustor, então tenha isso em mente na hora de fazer as contas.

3-Vasos:

Estufa Homegrown

Existem diversos tipos e formatos e tamanhos. Você pode comprar vasos de feltro, plástico, vasos com furos laterais (airpots) entre outros! O importante sobre o vaso é o tamanho dele em relação a planta e o formato dele. Primeiro que você não quer um vaso muito grande e nem um vaso muito pequeno por muito tempo. Plantas pequenas em vasos grandes podem sofrer com apodrecimento de raiz visto que elas ficam expostas a água de rega por mais tempo e plantas grandes em vasos pequenos ficam root-bounded onde a raiz simplesmente não tem para onde crescer mais e isso causa uma serie de problemas com as folhas e crescimento da planta.

4-Substrato, Solo, Fertilizantes e Medidores para cultivo de Cannabis:

Para quem está começando eu pessoalmente recomendo Turfa + Perlita (50% – 50%) são vendidas em sacos prontos em diversos Growshops e MercadoLivre. Esse seria um substrato inerte, onde todo alimento que estará disponível para planta vai ser fornecido por você, Grower. Esse tipo de substrato é bom pois torna o cultivo “receita de bolo” mais fácil. Existem também solos, super-solos que já vem com todos nutrientes que sua planta pode precisar, tudo orgânico e simbiótico.

Existem outros tipos de “substratos” (onde a planta fixa suas raízes!), mas esses envolvem um pouco mais de técnica e conhecimento do grower.

Em termos de fertilização você pode usar fertilizantes NPK de acordo com cada estágio da planta. No vegetativo você foca em maiores concentrações de Nitrogênio (N), durante a flora você gradativamente troca para fertilizantes com maior concentração de Fosforo (P). O Potássio(K), sempre presente em todos estágios, regula os sistemas da planta e auxilia no sistema de defesa da mesma.

Existem fertilizantes Orgânicos, Fertilizantes Minerais. Com a turfa e perlita recomendo escolher um bom nutriente para Vegetativo e Floração (Biobizz, Advanced Nutrients, o brasileiro Flowermind). Lembre-se de sempre medir o PH das suas regas!

Por fim existem acessórios de medição importantes como termo higrômetro (para medir a temperatura e umidade no cultivo) e medidores de PH (é vital medir o PH na regas nos cultivos não orgânicos!).

Conclusão

Pronto! Se você tem isso em mãos agora você só precisa da sua semente para cultivar!! Mas não se esqueça: Estudar sobre o cultivo/cuidados da sua planta e a prática que vão te transformar em um cultivador com ótimos resultados.

O objetivo desse artigo é tirar as principais as duvidas sobre iniciar um cultivo, e te orientar nas principais dúvidas relacionadas ao começo.

A busca por conhecimentos neste tema não tem fim! A cada dia nossas práticas e técnicas vêm sendo testadas por growers do mundo todo.

Agora é sua vez de comentar, perguntar, compartilhar dúvidas e correções com base nesse artigo e em outros que você já leu.

Para maiores informações sobre growboxes e cultivo não deixem de seguir o Instagram da homegrown: https://www.instagram.com/hgcultivo

Site: https://hgcultivo.com ou pelo meu e-mail pessoal em [email protected]

Não existem dúvidas bobas e eu vou ajudar todos que realmente querem cultivar, sendo você um Grower da Homegrown já ou não.

Kleber F. V. Jacinto é o CEO da Homegrown, uma Startup brasileira que esta mudando como nossa comida e medicina é produzida e distribuída. Em um futuro próximo a maioria do alimento e medicina que você consome virá de você, dos seus amigos e do eu bairro.

Posts recentes

Veja mais