Qual a forma mais saudável de se consumir maconha? E a que mais dá brisa? Descubra as diferenças entre bongar, fumar comer e vaporizar aqui!

Todo maconheiro já fumou um baseado enrolado na seda, mas nem todo mundo sabe que há diferentes formas de consumir maconha, seja fumando, vaporizando e até comendo. Cada via de uso interfere na brisa de uma forma, alterando o tempo até bater, duração dos efeitos e também os impactos na nossa saúde.

Vamos explicar para vocês as diferenças entre cada forma de consumir maconha, as desvantagens e vantagens entre elas, as diferenças nos efeitos e como aproveitar melhor a cannabis, o haxixe ou extração utilizando a temperatura e as ferramentas adequada para alcançar os efeitos que queremos. 

Também vamos responder dúvidas comuns como quanto tempo dura a brisa, qual o melhor material para bongar, como comer maconha e principalmente, vamos dar dicas de redução de danos para que o uso, independente da forma, seja feito da maneira mais segura possível e com menor impacto no nosso corpo e saúde. 

Fiquem ligados nas dicas!

Diferentes formas de fumar maconha

Cigarro de maconha
Foto: Mile High Glass Pipes

Fumar é o jeito mais popular de usar maconha, mas mesmo esse jeito convencional, tem variáveis, algumas muito criativas inclusive! Mas as formas mais conhecidas e eficientes de tragar a maconha é através do beck na seda, de um cachimbo, também conhecido como pipe, ou de um bong. A escolha do material do pipe e do bong também é importante nessa hora, mas vamos falar disso mais para frente.

Ao fumar maconha os efeitos batem mais rápido ao comparar com outras vias de uso como ingerindo. Quando fumamos a maconha o beck bate após alguns minutos e a brisa dura em média entre uma e três horas. A intensidade da brisa está ligada com a quantidade de cannabis fumada, a qualidade da maconha ou haxixe e o metabolismo de cada pessoa. 

Lembrando que cada organismo reage às substâncias de uma maneira, então não se baseie na experiência de outras pessoas e conheça seu próprio corpo, para conseguir entender seus limites e evitar uma onda desagradável.

As vantagens de fumar maconha é que o efeito bate rápido, então sentimos no momento. No caso do tradicional beck, é fácil de bolar um baseado em qualquer lugar e prático, além de ser uma boa forma de compartilhar.

Por outro lado, quando fumamos maconha, inalamos também substâncias químicas derivadas da combustão do THC e também do material do tipo. Sabe aquela história de o que faz mal é o papelzinho? Ela tem um pouco de verdade! Alguns tipos de seda tem mais substâncias químicas que outras.  

A ingestão de toxinas se agravam quando o baseado está misturado com tabaco, o famoso spliff, pois além de inalar o monóxido de carbono, também inalamos os componentes químicos do cigarro que são altamente cancerígenos.

Como usar Haxixe
Haxixe com tabaco (Foto: Smoke.io)

Essas substâncias são cancerígenas e devemos evitá-las ao máximo. Para aproveitar a brisa com mais segurança e menos toxinas, existem algumas estratégias de redução de danos que tornam o ato de fumar cannabis menos prejudicial para a nossa saúde.

Como reduzir danos ao fumar maconha?

A escolha da seda, do bong e do cachimbo são essenciais para reduzir danos na hora de fumar maconha. O uso de algo que resfrie a fumaça como um bong ou piteiras também é essencial. Vamos entender mais sobre cada uma das estratégias para conseguir fazer escolhas conscientes e fumar um baseado tranquilo.

1. Evite sedas coloridas, com cheiro e até mesmo blunts!

Por mais tentador que pareça fumar um beck com gostinho de melancia ou em uma blunt bem grande, como se estivesse em um clip de rap americano, essas sedas com desenhos, aroma e sabor, liberam mais toxinas que as sedas convencionais.

Isso acontece porque ao fumar nesse tipo de seda inalamos tinta e outros produtos químicos utilizados para deixar as sedas com essas propriedades. O ideal é fumar uma seda transparente. Enquanto mais transparente e fina melhor!

2. Dê preferência aos cachimbos e bongs de vidro e silicone

Como consumir maconhas em bong de vidro ou silicone
Foto: DHGate

As vantagens de fumar em cachimbos são em relação à dosagem, cabe a quantidade perfeita para uma ou duas tragadas, não desperdiça maconha e libera menos toxinas do que fumar na seda, além de ser prático, mas a escolha do material é o mais importante nessa hora!

O vidro é um excelente material, duradouro e fácil de limpar, porém fácil de quebrar. Já o silicone pode ser mais difícil de limpar por não ser transparente, mas não é tão delicado o que é uma vantagem, principalmente para os maconheiros desastrados. Existem muitos pipes de madeira que alteram o sabor da cannabis e não são tão fáceis de limpar, mas não fazem mal. 

Já os cachimbos e bongs de plástico devem ser evitados, pois o plástico ao ser aquecido solta muitas outras toxinas deixando o ato de fumar ainda mais nocivo aos pulmões!

Quando se fuma no pipe ou no bong a fumaça percorre uma distância até a boca e a tragamos mais resfriada. Isso também reduz os danos ao fumar quando comparamos a via fumada, mas o mais ideal para a nossa saúde é colocar água e gelo no bong. Dessa forma, as impurezas da cannabis são filtradas e a fumaça sai mais fresca. 

Só é preciso ficar atento na hora da bongada na quantidade que fumamos, pois a tragada é mais intensa e os efeitos batem com mais força.

3. Use piteiras longas

Cigarro de maconha
Foto: Leafly

Outro detalhe muito importante é usar piteiras, enquanto mais longa melhor. A piteira, em um baseado, faz o papel de filtrar as impurezas e resfriar a fumaça, o que é essencial para reduzir os danos na hora de fumar. O uso de filtro de tabacos com a piteira também é aconselhado em caso da maconha estar misturada com o tabaco. O filtro não diminui a quantidade de THC, apenas filtra as impurezas! Outro papel importante da piteira é deixar o baseado mais higiênico na hora de compartilhar com outras pessoas.

4. Nunca segure muito a fumaça e evite os becks de ponta!

É um mito que segurar a fumaça deixa mais chapado! O nosso corpo começa a absorção do THC assim que o mesmo caí na corrente sanguínea. Estudos dizem que o tempo ideal segurando a fumaça de maconha seria de 3 segundos, que é o suficiente para dar a seus pulmões a quantidade certa de tempo para mover o máximo de canabinoides possível para sua corrente sanguínea. Depois disso, estamos apenas inalando a fumaça, monóxido de carbono e as outras toxinas que surgem ao queimar o beck!

Agora imagine que essas toxinas se concentram no fim do baseado, sendo assim, fumar um beck de pontas é fumar um baseado altamente concentrado com toxinas, principalmente se essas pontas estão sem filtro! 

Então prefira queimar um baseado pequeno e com filtro e ir fumando aos poucos, do que fazer um baseadão, guardar as pontas e fazer aquele baseado de cemitério quando a cota acabar.

Qual a diferença entre fumar e vaporizar?

Como vaporizar haxixe
Foto: Azarius

Os vaporizadores, também chamados de vaps, vape pen ou em português canetas vaporizador, é mais uma das diferentes formas de consumir maconha. Os efeitos, assim como quando a maconha é fumada, começam em poucos minutos e duram algumas horas, porém a forma como o nosso corpo absorve a substância quando vaporizada é diferente.

Outra questão importante quando falamos de vaporizar é a temperatura. Os vaporizadores possuem diferentes temperaturas e como os fitocanabinóides queimam em temperaturas diferentes, é possível escolher vaporizar mais CBD ou THC a partir do controle de calor, uma vez que o O CBD é extraído em temperaturas mais baixas.

Além de ser discreto e não produzir cheiro, a maior vantagem da vaporização é que a mesma não produz monóxido de carbono, aquela toxina resultante da carburação do baseado. Isso significa que vaporizar é reduzir danos!

Por outro lado é muito importante escolher uma marca de vape confiável, pois alguns vaporizadores são feitos com polietilenoglicol (PEG), um composto que quando aquecido pode produzir substâncias cancerígenas.

Como é a brisa quando comemos maconha?

Para comer a maconha é preciso descarboxilar a cota e já explicamos como fazer isso! As diferenças da brisa quando a maconha é ingerida estão principalmente na duração e intensidade dos efeitos.

Descarboxilação de maconha
Foto: Weed Republic

Nosso corpo demora mais para absorver os alimentos de maconha, e a brisa pode demorar até uma hora para bater. Por outro lado, os efeitos são mais longos! Durante aproximadamente 5 horas, mas em algumas pessoas se estendem até 12 horas. As sensações também são mais potentes e podem causar náuseas em pessoas que não estão acostumadas com a ervinha.

As vantagens em comer a maconha estão relacionados a descrição e também no quesito redução de danos. Assim como quando vaporizado, ao comer a maconha também não se ingere monóxido de carbono e as outras toxinas causadas pela combustão.

A desvantagem de comer é a dificuldade de controlar a dosagem. O tempo que demora pra bater pode confundir e fazer com que a pessoa consuma uma dose maior do que o planejado, por isso é bom comer doses pequenas e aos poucos.

Óleo de maconha e uso medicinal

Óleo de maconha
Foto: HubInternational

Atualmente, cada vez mais formas de extrair maconha estão sendo descobertas. Os óleos de maconha são especialmente usados para tratamentos medicinais, pois são concentrados em CBD e não causam efeitos psicotrópicos. 

Para ter acesso aos óleos de CBD no Brasil é preciso de receita médica e autorização especial da ANVISA.

Acho que depois desse post vocês estão sabendo tudo sobre as mais variadas formas de fumar cannabis, as diferenças entre cada uma delas e estão prontos para fazer escolhas de acordo com as sensações que buscam e reduzindo os danos ao máximo!

jQuery('#cb-section-b .cb-module-e').after('');