Separamos todas as utilidades da maconha em um só post, conheça para que serve essa planta e porque ela é tão importante.

A maconha tem diversos significados para diferentes pessoas em distintas regiões do mundo. Alguns países são conhecidos por usar o cânhamo como matéria prima para as suas roupas, outros povos fazem uso recreativo da maconha e alguns usam a cannabis como medicina e vendem em farmácias ou boticárias. 

No entanto, algumas polêmicas e conceitos formados precipitadamente, ajudam na distorção de informações e na confusão da utilização da planta.Aqui veremos onde e como a maconha pode ser utilizada, começando pela planta em si, passando pelo uso em roupas, medicamentos, lazer e terminando no seu cultivo. 

Confira tudo sobre a cannabis!

Como tudo começa: Apenas uma planta, a Cannabis

Se engana quem acha que a Cannabis é uma modinha atual. A planta tem uma história de 6.000 anos de uso humano. No entanto, desde do início do século 20, quando se tornou ilegal, tivemos o aumento da lacuna de conhecimento quanto aos usos e ao potencial da planta.

Planta da Cannabis
Foto: Marijuana Subjects

Para entender melhor o que é a cannabis e onde esse assunto começa, precisamos entender mais sobre a planta em si. É importante despir dos nossos conceitos já formados, e ter em mente que não é uma planta milagrosa, nem uma planta má. É apenas uma planta.

A Cannabis possui plantas femininas e masculinas, ou seja, há indivíduos de plantas que apresentam apenas órgão reprodutor masculino (estames e pólen), e indivíduos de plantas que possuem apenas o feminino (estigma, ovário, etc.).

A planta feminina de cannabis produz aglomerados de pequenos brotos que são cortados para uso comercial. 

Seus tricomas, pequenos pêlos localizados na parte externa das flores de cannabis, produzem e secretam uma resina, a qual contém canabinóides e terpenos procurados pelos usuários.

Percebemos assim, que a maconha comercializada é originária de indivíduos femininos, os quais possuem hastes longas e magras e grandes folhas em formato de leque.

Mas não é isso, existem mais de 750 compostos encontrados na planta, incluindo pelo menos 104 canabinóides.

O THC é o canabinóide com o qual você provavelmente está mais familiarizado (é o psicoativo). No entanto, há outro canabinóide que está sendo intensamente estudado: o CBD, uma substância não psicoativa, com amplas aplicações em várias doenças.

Esses dois canabinóides mais conhecidos, o THC e o CBD, são também os que ocorrem em maior volume.

A seguir, entenderemos mais sobre eles.

THC, CBD, outros canabinóides e seus efeitos no corpo humano

O delta-9-tetra-hidrocanabinol (THC) causa efeitos psicoativos ou o “alto” sentido da cannabis. Ele também produz os efeitos de alívio da dor, anti-náusea, ajudando no sono, apetite e estimulante do humor.

Já o canabidiol (CBD) não possui qualquer efeito psicoativo, sendo preferido como medicamento. O CBD também tem benefícios de alívio da dor e anti-náusea, além de ser anti-inflamatório, anti-ansiedade e reduzir de convulsões.

Mas para entender melhor esses efeitos, vamos conhecer rapidamente como essas substâncias agem no corpo humano.Aliás, você sabia que nosso organismo tem um sistema chamado endocanabinóide? Ele recebe esse nome porque foi a Cannabis que levou à sua descoberta. 

Esse sistema é responsável por tudo que a gente sente quando fumamos cannabis, mas ele também tem funções em outras áreas como nossa sensação de fome e de dor. O tetrahidrocanabinol (THC) presente na Cannabis, atua ligando-se nos receptores desse sistema, enquanto pesquisas mais recentes sugerem que o CBD age de maneira diferente, aumentando e melhorando a produção de nossos próprios endocanabinóides.

THC e CBD
Foto: Visual Capitalist

As pesquisas também indicam que o CBD pode alterar os efeitos de outras substâncias químicas naturais presentes no ser humano e também diminuir os efeitos do THC. Além dos canabinóides, outra substância muito importante para os efeitos recreativos e medicinais da planta são os terpenos.

Os terpenos são compostos orgânicos e aromáticos encontrados nos óleos de todas as flores, incluindo a maconha. Curiosamente, esses óleos têm seu próprio potencial médico independente.

Canabinóides e terpenos trabalham em harmonia, resultando em um “efeito de comitiva” e aprimorando as propriedades médicas da cannabis.

Diferentes espécies de Cannabis: sativa, indica, híbridos e cânhamo

Cannabis é o gênero da planta, já sativa e indica são a espécie dela. Isso demonstra que essas diferentes plantas possuem diferentes características.

As plantas sativa têm folhas longas e finas, de cor mais clara. Os botões são longos e finos e apresentam coloração vermelha ou laranja. Elas tendem a conter altos níveis de THC e baixos de CBD. Em geral, ela é ideal para uso diurno, descrito como energizante, estimulante e criativo.

As plantas da espécie indica têm folhas largas, largas e profundas. Os botões são densos e bem compactados, apresentando coloração roxa. Indica geralmente contém níveis médios de THC e uma quantidade maior de CBD. Seus efeitos são frequentemente descritos como relaxantes e calmantes, o que é mais ideal para o uso noturno.

Atualmente, a maioria das espécies são híbridas, então essas classificações importam mesmo do que a strain.Também é importante notar que híbridos geralmente podem reunir as melhores qualidades de ambas em uma única planta.

Além disso, temos também o cânhamo, pertencente ao mesmo gênero (Cannabis ruderalis), sem efeito psicoativo, com amplo uso na indústria: desde suplementos alimentares até roupas e acessórios.

Maconha medicinal

Estima-se que no mundo, aproximadamente 183 milhões de pessoas façam uso da maconha para fins medicinais, isso foi o que mostrou um levantamento, feito pela UNODC, órgão das nações unidas que discute as políticas de drogas.

Todos esses consumidores, estão espalhados por cerca de 135 países, que somados representam cerca de 92% da população do mundo inteiro.

Cannabis medicinal, CBD medicinal, maconha medicinal ou qualquer outro nome, está cada vez mais em voga quando o assunto são doenças de difícil tratamento.

Nesse sentido, diversos estudos sobre Cannabis vem mostrando a habilidade de suas substâncias em auxiliar esses pacientes. Muito embora, ainda haja muito preconceito e muita burocracia para que estes estudos sejam feitos.

A síndrome de tourette é um distúrbio do sistema nervoso que afeta a vida de milhões de pessoas em todo o mundo, incluindo adultos e crianças. A maconha medicinal tem se mostrado uma boa alternativa para o tratamento dessa doença.

O uso de Cannabis (THC) tem resultado também em diminuição dos danos do MDMA, sendo que pesquisas asseguram que o efeito hipotérmico (redução da temperatura corporal) e as propriedades anti-inflamatórias do THC podem atuar como neuroprotetores.

Isso previne a hipertermia (elevação da temperatura corporal), a ativação glial e a perda axonal de neurônios dopaminérgicos causados pelo MDMA.

Também têm sido relatado alguns estudos sobre os benefícios da maconha no tratamento de diabetes que você pode conferir aqui.

Esclerose múltipla e seu tratamento através da Cannabis vem demonstrando bons resultados, especialmente devido às propriedades anti-inflamatórias das substâncias da maconha, já que esta é uma doença autoimune.

Os espasmos musculares são outra condição que a maconha medicinal pode apresentar benefícios devido aos seus efeitos relaxantes.

Um dos principais usos da maconha medicinal, inclusive aqui no Brasil, é no tratamento da epilepsia refratária infantil, com vários estudos de todo o canto do mundo mostrando sua efetividade (você pode ver mais sobre isso aqui).

Após décadas de acesso restrito e estigmas, a maré está voltando para o que nossos ancestrais descobriram há muito tempo. Hoje, milhões de pacientes dependem da maconha medicinal para conseguir ter qualidade de vida.

Cannabis sativa e seu uso medicinal no Brasil

Em 2015 foi permitida no Brasil a importação de produtos à base de Cannabis sativa, desde então, estima-se que 78 mil desses medicamentos foram importados.

Atualmente, a legislação brasileira permite que menores e adultos utilizem cannabis medicinal na forma de medicamentos, sendo que a Anvisa importa mais de 10 tipos de medicamentos à base de cannabis.

O maior avanço recente foi o remédio a base de Cannabis chamado Mevatyl, o qual só é necessário a apresentação de uma receita médica para adquiri-lo.

Planta da Maconha
Foto: CannabisNow

O medicamento foi aprovado em janeiro de 2017, sendo que uma caixa contém 3 frascos de spray com 10ml. O produto possui quantidades iguais (1:1) de THC e CBD, com efeito medicinal eficiente e cientificamente comprovado.

Além disso, nos últimos anos a ANVISA concedeu 4.617 autorizações para importação de remédios à base da planta, prescritos por mais de 800 médicos no país. O único problema é que a importação dos remédios à base de CBD é super cara.

A alternativa para o acesso a maconha medicinal no Brasil são as Associações sem fins lucrativos que temos acerca disso.

Quanto tempo a maconha fica no seu corpo?

É muito difícil prever esse tempo. Existem diferentes modos de se utilizar a maconha, como por vaporizador, fumando, comendo, etc.

Isso, juntamente com a biologia única de cada pessoa, fazem com que o cálculo da janela de detecção (número de dias após parar por completo o uso que o teste ainda virá positivo) seja muito complexo.

Por isso, não existe uma janela de detecção padrão, já que isso é altamente variável de pessoa para pessoa.

A variação depende também da frequência e quantidade do uso. Então, não há como prever ou saber ao certo por quanto tempo uma pessoa irá testar positivo para alguma substância, mas há alguns estudos que estimam esse tempo.

Maconha recreativa e seus usos

Os efeitos da maconha podem ser relaxantes ou estimulantes, criativos. Isso depende muito da sua variação e também da strain. O uso da maconha recreativa é muito associado a um dia tranquilo na praia, ou antes de ver um filme jogado no sofá de casa.

Outras pessoas preferem usar maconha para produzir artisticamente, para comer ou até mesmo antes de ter relações sexuais. Apesar disso, não está claro se a maconha pode causar impotência sexual.

Quando falamos em maconha recreativa temos diferentes strains com gostos e aromas diferentes. No Brasil, uma das strains mais famosas é a Manga Rosa, originária da África e que se desenvolveu no clima tropical do Brasil, sendo 100% sativa, estimulante e até psicodélica.

Outra strain entre as mais famosas do Brasil é a Colombian Gold.  Com gostinho de limão, a strain é uma ótima opção para quem está começando pelos seus efeitos mais sutis. Outra curiosidade do “Ouro Colombiano” é que a strain é uma das genéticas que deu origem ao Skunk#1 , famosa genética que deu origem ao nome genérico “Skank” muito utilizado no Brasil para se referir as flores não prensadas de maconha. 

Fumar ou vaporizar a cannabis é uma experiência também degustativa. Há muitas variedades de maconha com sabor e aroma de frutas. Dentre elas vamos destacar a Super Lemon Haze, uma strain híbrida que já ganhou duas vezes a Cannabis Cup com forte traços de limão, sabor cítrico e levemente adocicado e Banana Kush

A Banana Kush é uma strain híbrida predominantemente indica e como o nome já diz, com gosto e cheiro de bananas frescas. Os efeitos dessa cepa são uma euforia suave ao lado de uma sensação de relaxamento.

Outra strain com características muito peculiares é a Pineapple Express. Degustar essa strain é realmente uma experiência. A strain combina diferentes sensações e tem cheiro de maçã e manga mesclado com sabor de abacaxi, pinho e cedro. É uma variedade perfeita para dias produtivos ou jornadas criativas. 

Existem mais uma grande variedade de strains que já discorremos sobre os efeitos, características e terpenos, mas trouxemos aqui alguns exemplos de como a maconha pode ser usada recreativamente, ou em outras palavras, como a brisa bate.

Lembramos que os efeitos da brisa é diferente para cada indivíduo e varia com a qualidade da planta, como você está se sentindo e fatores externos como companhia e espaço onde a cannabis está sendo utilizada. O autoconhecimento é a melhor forma de se prevenir de viagens desagradáveis.  

Haxixe

O haxixe é uma outra forma de fazer um uso recreativo e ritualístico da planta. Ele é feito a partir da extração de tricomas da planta de cannabis e forma uma massa que pode ser fumada no baseado, no chillum, em bongs de vidros conhecidos como dabbers ou vaporizada.

Haxixe de Maconha
Foto: Herb

Existem várias maneiras de produzir o haxixe, ou seja, de separar os tricomas da planta da matéria vegetal. Cada maneira de produzir o haxixe forma um tipo de hash diferente. Algumas formas são sem solventes, essas são as mais antigas e tradicionais e observamos em países como Índia, Afeganistão, Paquistão e Marrocos.

Outros processos são mais modernos e consistem no uso de equipamentos como no caso do Rosin ou de solventes, como no caso dos óleos de haxixe. 

Cultivo da maconha

O cultivo da maconha caseiro no jardim ou em uma estufa indoor é uma forma de ser auto suficiente, poder produzir o próprio haxixe e o próprio óleo de CBD sem depender do mercado ilegal e ainda por cima  garantindo  a melhor qualidade do fumo.

Cultivar não é um bicho de sete cabeças, mas também não dá para fazer sem estudo e preparo. Por isso preparamos um guia completo para os growers de primeira viagem tirarem todas as dúvidas sobre o tema. 

O ciclo da planta de cannabis consiste na germinação, no período vegetativo e na floração. O processo todo dura aproximadamente 4 meses, mas atenção o processo de colheita, secagem é tão importante quanto o ciclo da planta.  Além disso, recomenda-se deixar as flores curando antes de consumi-las e tem pessoas que deixam a planta curando por até um ano!

Não existe um tempo determinado para a cura. Muitos acreditam que com o tempo a maconha absorve melhor os terpenos e canabinóides, em outras palavras o aroma, sabor e efeitos psicoativos. Por outro lado, tem que ficar atento para que a planta não mofe. O lugar da cura deve ser adequado, de preferência um pote hermético de vidro protegido de luz e calor.

Conclusão

A maconha (Cannabis spp.) tem o mais variado leque de utilização, desde roupas até medicamentos.

Tudo isso se deve a sua versatilidade e suas substâncias com efeitos surpreendentes. Infelizmente, o preconceito e estigmas ainda permeiam o assunto, dificultando não só o uso recreativo, como importantes pesquisas e usos medicinais.

Aqui você pode conferir um bom resumo de tudo o que a maconha é, sua essência e os mais diversos usos além de formas de consumo e cultivo. Deu para ter um bom panorama sobre a ervinha, né!?

A gente espera que cada vez mais informações sobre a cannabis sejam divulgadas e seu uso medicinal seja gratuito e universal para todos que precisam. 

E você, qual é sua opinião sobre a maconha e seus usos? Já a utilizou de alguma forma? Tem alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo!

jQuery('#cb-section-b .cb-module-e').after('');