Índice:

Fumar maconha pode causar uma fome incontrolável, daquelas que te faz misturar batata-frita com sorvete, pizza com ketchup ou queijo com pasta de amendoim. Essa vontade insana de comer, que aparece mesmo se estamos satisfeitos, é conhecida como larica.  Mas o que é exatamente a larica e por que esse fenômeno acontece?

Nesse post vamos entender tudo sobre a larica e a interação da cannabis com a fome, o porquê sentimos larica, se a maconha pode engordar, e também vamos falar mais como a maconha interage com o nosso corpo, mais especificamente com o nosso sistema endocanabinóide. Por último quais as consequências boas e nem tão boas assim que a larica pode trazer.

É bastante conteúdo e espero que assim vocês consigam tirar todas as dúvidas sobre esse tema um pouco complexo, mas muito instigante.

O que é a larica?

A larica da maconha engorda? O que é a larica?

A larica é a sensação de fome insaciável depois de fumar maconha, ou em termos mais científicos, é a conexão do THC com alguns receptores do Sistema Nervoso Central responsáveis pela regulação do apetite. Ao inibir alguns desses receptores, o nosso cérebro não entende que estamos satisfeitos e continuamos a sentir fome mesmo se acabamos de comer.

Entre esses receptores está o hormônio grelina, um peptídeo produzido nas células do estômago e super importante para o balanço energético a curto prazo. A grelina também é responsável pela sensação de fome e mudanças agressivas nos hábitos alimentares afetam esse hormônio e consequentemente a nossa relação com a comida. 

Sabe aquele desejo de comer doce durante uma dieta bem restritiva sem nada de açúcares ou carboidratos ? São nossos hormônios reagindo às mudanças alimentares!

No caso de fumar maconha, não ocorre uma alteração no hormônio em si ou na estrutura digestiva, é uma sensação que temos, ou na verdade, que não temos de estar saciados, pois esse hormônio está inibido.

Por que temos a larica?

Agora que entendemos que de fato a larica é a inibição de receptores do Sistema Nervoso Central, vamos entender porque isso acontece, afinal, essa informação fora de contexto pode deixar muitas dúvidas, como por exemplo, a maconha age no estômago? O hormônio grelina é prejudicado? E, finalmente, a pergunta que assombra muito dos nossos leitores: maconha pode engordar?

Para que nenhuma dúvida sobre o assunto continue te perturbando iremos explicar direitinho porque a maconha inibe tais receptores responsáveis pela regulação do apetite. Para isso temos que retomar outro conceito científico: o Sistema Endocanabinóide! 

Já escrevemos o post mais completo sobre o tal sistema disponível em português, mas para quem não lembra, o Sistema Endocanabinóide foi descoberto em 1992 no laboratório do pesquisador israelense Dr. Raphael Mechoulam. O cientista foi pioneiro em uma série de descobertas que revelam que temos dentro do nosso corpo receptores que interagem com os fitocanabinóides, os componentes químicos da maconha. 

Os fitocanabinóides mais conhecidos são o THC, Δ9–tetrahydrocannabinol e o CBD, Cannabidiol. O THC têm funções principalmente psicoativas, mas combinadas com outros fitocanabinóides pode ser mais relaxante ou mais eufórica. Já o CBD é importante principalmente para as funções medicinais da planta. 

A descoberta que o nosso corpo produz receptores para esses componentes e outros componentes químicos, que se assemelham com os fitocanabinóides, mudou totalmente a nossa compreensão sobre a cannabis.Isso significa que a maconha só faz efeito no nosso corpo, porque interage com esse sistema que é muito importante para o nosso cérebro e Sistema Nervoso.

Dentro do Sistema Endocanabinóide estão reguladores de humor, apetite e sono, por isso que os efeitos ao consumir cannabis giram principalmente ao redor dessas áreas e variam muito conforme a quantidade de THC e outros fitocanabinoides presente na diferentes strains ou espécies de cannabis.

Então, a larica, apesar de alterar a sensação de fome,  é um fenômeno que acontece dentro do Sistema Endocanabinóide, no cérebro, e não altera mais nenhuma outra parte do corpo. Ou seja, fumar não causa fome, um gasto energético ou uma necessidade maior de ingerir comida: tudo acontece na mente! 

Portanto a maconha sozinha não aumenta a massa corporal, inclusive uma pesquisa publicada em 2019, pelo International Journal of Epidemiology, analisou mais de 30 mil usuários de cannabis e comparou o Índice de Massa Corporal (IMC) deles com não-usuários de maconha e concluiu que os consumidores frequentes de maconha apresentavam uma menor taxa de obesidade.

Isso não quer dizer que maconha emagrece, apenas que a cannabis não está diretamente ligada com os nossos ganhos calóricos e a larica é uma sensação da nossa mente. Mas não é porque acontece somente na mente que é uma fome menos real. A larica é real e além da inibição dos tais reguladores do apetite, ao consumir maconha nosso olfato também fica mais aguçado e todos os cheiros parecem mais atrativos. Comer chapado é uma experiência muito saborosa!

Os dois lados da larica

Maconha e larica, maconha engorda?

Antes de classificar a fome que a maconha dá como algo negativo, devemos lembrar que tudo tem dois lados! Principalmente quando o assunto são os efeitos no corpo humano. A larica pode ser considerada um dos efeitos medicinais da maconha, pois para quem têm problemas com falta de apetite, a larica funciona como uma aliada muito eficaz.

O mesmo acontece para quem está passando pelo tratamento de doenças como HIV e câncer. Tais terapias são invasivas e com medicamentos que trazem muitos efeitos colaterais para os pacientes, entre eles a dificuldade em sentir fome ou se alimentar com prazer. Para esses pacientes, o uso da maconha pode reduzir os danos causados pelo tratamento e melhorar a qualidade de vida, proporcionando larica e muita vontade de comer aos pacientes.

Já para os consumidores recreativos de cannabis, que não sofrem com a falta de apetite, a larica pode ser perigosa e causar ataques desnecessários à geladeira. Para manter o equilíbrio e não engordar é necessário ficar de olho na alimentação, buscando fazer laricas mais saudáveis com frutas e legumes, evitando doces e frituras. Outra forma de reduzir a larica é fumando depois de comer. 

Quais strains de cannabis interagem mais com a larica?

A quantidade de THC e CBD altera a forma como a maconha bate, ou como percebemos os efeitos da cannabis, mas há outros fatores que também alteram os efeitos da cannabis, entre eles estão o ambiente em que está sendo fumado e a espécie de cannabis.

Há espécies de cannabis Sativa ou Indica. A combinação de fatores como espécie e a quantidade de THC torna cada strain mais favorável para diferentes situações, por exemplo para dormir, fazer algo criativo ou sentir mais sabor e aroma na comida.

Como esse texto é sobre larica, vamos falar as strains que interagem com a larica. Para começar, vamos falar sobre aquelas que abrem o apetite e favorecem a larica como um terapêutico.

A Humble Pie é uma strain muito saborosa e energizante que aumenta o apetite, mas não de uma forma descomunal. e Já a Purple Pie é uma strain relaxante e que dá uma larica daquelas, mas não tanto como Monkey Bread, que relaxa absurdamente e é o abridor de apetite ideal. 

Jack Herer
Foto: @erik.nugshots

Na outra ponta, entre as strains que não dão uma larica tão forte estão a Jack Herer, uma strain que até dá uma fome, mas é excelente para quem quer driblar uma larica intensa. É uma sativa e seus efeitos energéticos estimulam, principalmente, a criatividade.

Efeitos da Jack Herer (Retirado do nosso guia de strains, visite agora!)

A ACDC é uma strain híbrida riquíssima em CBD e que quase não dá larica. Outra strain rica em CBD, que também têm bastante efeitos terapêuticos, especificamente contra a dor, mas não provoca fome é a Canna-Tsu.

Espero que vocês tenham entendido tudo sobre larica e consigam usar esse desespero por comida para criar receitas fabulosas e desfrutarem muito de pratos saborosos

Posts recentes

Veja mais

jQuery('#cb-section-b .cb-module-e').after('');