Neste artigo você irá encontrar tudo o que precisa saber os Macro, Micro e Nutrientes secundários, veremos também sobre o por que, quando e como alimentar suas plantas, bem como possíveis problemas que podem resultar de uma sub ou super alimentação.

A natureza é mesmo surpreendente, e podemos provar. Olha só: Todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento da planta de cannabis estão naturalmente presentes no meio ambiente. Isso é inegável.

No entanto, se você é daqueles jardineiros que busca extrair ao máximo do seu cultivo, você certamente vai querer ajudar nesse processo e alimentá-las com fertilizante para maconha ou concentrados de nutrientes.

Mas nem tudo são “flores”, e as plantas de maconha podem ser extremamente sensíveis aos nutrientes. Existe uma linha estreita entre alimentar adequadamente suas plantas e queimá-las com o próprio alimento. E veja bem, quando falamos em alimentar, podemos entender como o processo de nutrição ou fetilização da planta, então fica ligado!

Por isso, informação nunca é demais.

Reserve 8 minutos para esta leitura, e descubra tudo o que você precisa saber sobre a alimentação adequada de plantas de maconha em nosso guia!

Conheça os Macro e Micronutrientes usados na fertilização da maconha

As plantas de maconha precisam de três nutrientes principais em grandes quantidades. Eles são chamados de macronutrientes: são o nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K), e eles formam a base da alimentação para a saúde das plantas. 

Esses três nutrientes geralmente aparecem na frente e no centro dos rótulos dos produtos fertilizantes na forma de uma proporção de NPK . Quanto maior for o número de cada valor, maior será a concentração daquele nutriente na composição.

No entanto, a cannabis precisa de mais do que apenas três nutrientes para se desenvolver plenamente. Ele também irá contar com nutrientes secundários como cálcio, magnésio e enxofre para desempenhar papéis considerados vitais no crescimento da planta:

  • O enxofre é necessário para a formação da clorofila e a produção de proteínas, aminoácidos, enzimas e vitaminas, e protege as plantas contra doenças.
  • O magnésio desempenha um papel fundamental na fotossíntese e no metabolismo dos carboidratos, além de auxiliar na estabilização das paredes celulares das plantas.

O cálcio é importante para o desenvolvimento da parede celular, pode ajudar a reduzir a salinidade do solo e melhora a penetração da água quando usado como corretivo do solo.

Fonte: David Ragusa – Onsplash

Além disso, as plantas também utilizam vários outros nutrientes em pequenas quantidades, os micronutrientes, que, no entanto, são extremamente importantes. 

Isso inclui boro, cloro, cobre, ferro, manganês, molibdênio e zinco. Embora esses não sejam os principais nutrientes que as plantas usam para se alimentar, eles ainda desempenham papéis muito importantes em vários aspectos da saúde das plantas.

Nem todo fetilizante para maconha é igual, fique atento ao rótulo!

Basta uma simples pesquisa pra constatar a existência de muitas marcas diferentes de nutrientes no mercado, e elas podem ser consideravelmente diferentes uma das outras.

Normalmente, os fertilizantes de cannabis variam nas quatro áreas a seguir:

  • Solo ou hidro: os nutrientes do solo são muito diferentes das soluções de nutrientes hidro ou sem solo. Certifique-se de usar apenas fertilizantes projetados para o seu meio de cultivo.
  • Ingredientes: Diferentes marcas de fertilizantes podem atingir as mesmas proporções de nutrientes usando ingredientes completamente diferentes, desde os mais químicos aos mais naturais.
  • Proporção de nutrientes: marcas diferentes usam proporções de nutrientes diferentes, normalmente usam as que consideram ideais.
  • Suplementos: muitas marcas de fertilizantes também fazem “suplementos” para o cultivo. Esses produtos normalmente contêm baixas taxas de NPK e, em vez disso, apresentam outros nutrientes projetados para impulsionar certos aspectos do crescimento. Alguns suplementos, por exemplo, são essencialmente uma espécie de melaço .

Em geral, recomendamos que você priorize atender às demandas de nutrientes macro e secundários de suas plantas antes de enchê-las de suplementos. Primeiro o básico bem feito.

Uma vez que você tenha acertado a alimentação de suas plantas com esses nutrientes essenciais, sinta-se à vontade para adotar um programa de alimentação mais complexo, que se bem aplicado, te levará a produzir colheitas maiores e mais potentes.

Exagerar na quantidade de nutrientes pode resultar em interações químicas ou queima de nutrientes, o que pode afetar significativamente o tamanho e a qualidade de sua produção.

Menos é mais, lembre-se disso.

Requisitos de fertilização em cada fase da vida da maconha

As necessidades de nutrientes da cannabis mudam de acordo com a fase de vida em que ela se encontra, e chegar ao final do ciclo tendo uma boa colheita requer um processo de construção que é realizado semana a semana, por isso é importante ter planejamento. Veja só.

Fertilizante para mudas de Cannabis

As mudas de cannabis obtêm todos os nutrientes de suas sementes e absorvem água por meio de suas folhas à medida que seu sistema radicular (raízes) se desenvolve, por isso é importante mantê-las em um ambiente quente e úmido.

Nesse caso, você não precisa começar a alimentar suas mudas até que tenham cerca de 3-4 semanas de idade, ponto em que elas terão desenvolvido 3-4 folhas verdadeiras, entrando assim na fase de crescimento vegetativo.

Fertilizante para vegetação de maconha

Como vimos anteriormente, a fertilização das plantas de Cannabis vai de encontra a ideia de fornecer todos os recursos necessários para que as suas plantas possam se desenvolver de maneira forte e saudável.

Nesse estágio uma alimentação adequada irá contribuir principalmente para o desenvolvimento de folhas fortes e saudáveis, de galhos firmes e de um bom sistema radicular. É dessa forma que suas plantas terão força suficiente para quando entrarem em floração, produzirem os tão desejados buds. Mas vamos por partes.

No início da vega, é adequado começar a alimentar suas plantas com um fertilizante leve 2: 1: 2 (aquela proporção de NPK, lembra?) por uma semana apenas, quando suas mudas começam a entrar na fase de crescimento vegetativo. 

Esta etapa pode ser uma ótima maneira de introduzir fertilizantes em suas plantas, e fazer isso de forma leve vai evitar a queima de nutrientes. 

No entanto, muitos jardineiros obtêm ótimos resultados mesmo começando a alimentar suas plantas com um fertilizante 4: 2: 3 no início da etapa de vega. Você pode testar e ver como se adapta melhor.

1

Na fase vegetativa média (cerca de 6 semanas após a germinação), você irá aumentar consideravelmente os nutrientes de suas plantas para ajudá-las a desenvolver uma folhagem forte e saudável. A maioria dos jardineiros vai buscar por um fertilizante 10: 5: 7 neste estágio.

2

Esses níveis elevados de nitrogênio ajudarão suas plantas em crescimento vegetativo a produzir uma folhagem verde e saudável, e a desenvolver muitos locais de botões a tempo para a floração.

Perto do final da fase vegetativa, é o momento ideal para começar a reduzir os níveis de nitrogênio e preparar suas plantas para a mudança visando o reforço de floração. 

A maioria dos jardineiros usa um fertilizante 7: 7: 7 na última semana da fase vegetativa.

3

Recomendações de alimentação na vega:

  • Início da Vega: 2: 1: 2 – 4: 2: 3
  • Meio da Vega: 10: 5: 7
  • Fim da Vega: 7: 7: 7

Fertilizante na floração da Cannabis

As plantas de cannabis quando entram no estágio de floração precisam de menos nitrogênio e mais potássio. É o potássio quem vai auxiliar a promover o crescimento de flores grandes e resinosas no seu cultivo. 

Durante as primeiras duas semanas de floração, é comum os jardineiros alimentarem suas plantas com fertilizantes 5: 7: 10

De agora em diante, as concentrações de potássio deverão ser mantidas mais altas do que a do restante dos nutrientes. 

A partir da metade da floração, veremos então o uso de uma solução nutritiva de 6:10:15. Essa concentração deve dar conta da alimentação das plantas nesse estágio.

Sem titulo

Durante as últimas semanas de floração, os jardineiros vão começar a reduzir seus nutrientes para suavizar a transição para o fluxo pré-colheita. Nesse estágio, considere usar um fertilizante mais suave com uma proporção NPK de 4: 7: 10.

Sem titulo 1

Recomendações de alimentação de floração:

  • Floração precoce: 5: 7: 10
  • Mid-bloom: 6:10:15
  • Floração intermediária: 4: 7: 10
  • Floração tardia: flush com pH balanceado

Como ler uma tabela de alimentos corretamente?

A maioria das marcas de fertilizantes fornece aos seus clientes tabelas de alimentação que acompanham o seu produto, sendo assim, fuja daquelas que não te entregam a orientação de uso.

Compreender esses gráficos é a chave para fornecer às suas plantas os nutrientes certos na hora certa. Pode acreditar.

Um gráfico de alimentação normalmente estabelece um ciclo de crescimento de 12 a 13 semanas para as plantas. As semanas do ciclo geralmente serão listadas ao longo do eixo x do gráfico, que também pode incluir informações como o fotoperíodo para cada semana e outras.

Mais importante, seu gráfico de alimentação irá indicar quais nutrientes dar às suas plantas, em que proporção, durante as diferentes semanas de seu ciclo de vida. 

Os nutrientes são normalmente aplicados uma vez por semana, e a maioria das marcas de fertilizantes fornecerá uma proporção de alimento para água (em litros ou galões). 

Alguns gráficos de alimentação também podem fornecer uma faixa de PPM para suas soluções. Nesse caso, invista em um medidor de PPM e meça seus nutrientes antes de regar. Isso é essêncial.

Depois de regar as plantas, é sempre uma boa ideia verificar o PPM e o EC (condutividade do solo) para garantir que as plantas estão absorvendo os nutrientes de maneira adequada.

Como preparar os nutrientes para aplicação?

Um possível desbalanceamento dos nutrientes pode prejudicar completamente sua colheita. Mas alimentar as suas plantas de cannabis não precisa se tornar uma dor de cabeça na sua rotina de cultivo, bem pelo contrário, pode e deve ser algo muito simples. Basta seguir estas etapas:

  1. Prepare a água. Se possível, certifique-se de que a temperatura da água esteja a cerca de 22 ° C para uma melhor absorção pelas raízes.
  2. Adicione os nutrientes de acordo com as instruções do fertilizante e mexa. Use um medidor PPM ou EC para obter leituras exatas.
  3. Se necessário, ajuste o pH de sua usando um suplemento para redução de pH de ácido nítrico ou fosfórico.
  4. Quando seu PPM, pH e temperatura estiverem corretos, alimente suas plantas e meça o escoamento (runoff) usando seu medidor de PPM ou EC para garantir que suas plantas estejam absorvendo seus nutrientes de maneira adequada.

A importância do ppm, pH e temperatura da água

O PPM, ou partes por milhão, é uma unidade de medida que nesse caso, mostra a quantidade de nutrientes que estão presentes em sua água ou meio de cultivo. 

Para evitar super ou subalimentar as suas plantas, é uma boa idéia sempre medir o PPM de seu solo ou meio de cultivo para ver se ele ainda contém nutrientes. 

Se houver nutrientes presentes em seu meio no momento de sua próxima alimentação, subtraia essa quantidade do PPM recomendado na sua tabela de nutrição para evitar a sobrealimentação.

O pH e a temperatura são métricas igualmente importantes ao alimentar suas plantas. Se um dos dois estiver alterado, mesmo que ligeiramente, suas plantas podem ter dificuldade para absorver seus nutrientes. Portanto, sempre que for a hora da alimentação, mantenha a solução nutritiva no pH sugerido pela sua marca de fertilizante e a temperatura da água em 22 ° C.

Dicas para melhorar a alimentação

Aqui estão algumas dicas rápidas para garantir que a alimentação ocorra sem problemas.

Adotar a quelação

Os quelatos atuam envolvendo nutrientes carregados positivamente com uma carga negativa ou neutra, permitindo que eles atravessem a barreira dos poros da planta. Em outras palavras, os quelatos vão melhorar a absorção dos nutrientes pelas plantas.

A maioria dos nutrientes de alta qualidade já contém quelatos químicos. 

Se você é um jardineiro que preza pelo cultivo orgânico, fique tranquilo. Você pode considerar o uso de quelatos naturais como os ácidos fúlvico e húmico para ajudar suas plantas a absorver melhor os nutrientes minerais como o ferro ou o zinco. 

Testar a nutrição foliar

A pulverização foliar, ou seja, pulverizar as folhas de sua planta de maconha com uma névoa fina, pode ser uma ótima maneira de lidar com deficiências de nutrientes ou pragas / doenças. 

Também é particularmente eficaz para alimentação de curto prazo com nutrientes secundários como magnésio ou cálcio, ou micronutrientes zinco, ferro e manganês.

Fazer o Flush

Os nutrientes são super importantes como vimos até aqui, mas você não quer que eles fiquem nas flores que você vai colher, certo?

É por isso que é importante lavar suas plantas com água com pH neutro (o famoso FLUSH) por pelo menos uma semana antes da colheita. 

Esse banho força as suas plantas a consumir os nutrientes restantes que armazenaram, resultando em uma fumaça limpa e suave.

Reconhecendo os problemas relacionados à nutrição da Cannabis

A alimentação excessiva ou insuficiente pode estressar e danificar suas plantas de cannabis. Certifique-se de manter os olhos abertos para os seguintes problemas relacionados aos nutrientes.

Fonte: CrystalWeed on Unsplash

PH

  • Problemas de pH podem ser causados ​​por desequilíbrios no meio, na água e nos nutrientes.
  • Desequilíbrios de pH podem afetar drasticamente a saúde de sua planta e causar muitos outros problemas, como bloqueio de nutrientes, deficiências e muito mais.
  • Se não forem tratados, os problemas de pH impedem drasticamente o crescimento das plantas e reduzem o tamanho e a qualidade da colheita.
bubba kush strain
Foto: Dinafem Seeds

Queimadura de nutrientes

  • A queima de nutrientes é geralmente causada por superalimentação ou acúmulo de nutrientes no meio de cultivo.
  • As plantas desenvolvem folhas verdes escuras com pontas quase neon verdes que se dobram 90 ° para cima, e caules ou ramos vermelhos profundos, magenta ou roxos.
  • As plantas com flores desenvolvem cálices amarelos e folhas de açúcar antes de morrerem rapidamente.
  • Normalmente tratado lavando as raízes com água com pH neutro por pelo menos uma semana antes da reintrodução gradual do fertilizante.
  • Medir PPM e CE pode ajudar a evitar a queima de nutrientes.

Bloqueio de nutrientes

  • O bloqueio de nutrientes é causado pelo acúmulo de nutrientes em torno das raízes de uma planta, ou por desequilíbrios de pH, e os impede de absorver os nutrientes disponíveis.
  • O bloqueio de nutrientes leva a deficiências de nutrientes, o que pode causar amarelamento das folhas, pontas das folhas queimadas, formato e tamanho irregular das folhas e manchas marrons. Os sintomas variam dependendo de quais nutrientes estão faltando em sua planta.
  • Normalmente tratado com lavagem, checagem de pH e ajustes de nutrientes.

Alimentação

  • A superalimentação com fertilizantes químicos e complementos pode queimar suas plantas.
  • A natureza altamente concentrada dos fertilizantes químicos acaba representando um desafio para os jardineiros novatos que podem facilmente acabar alimentando demais suas plantas.
  • Os sinais indicadores de superalimentação incluem folhas secas, de aparência queimada, com descoloração amarela ou marrom, bordas queimadas e pontas dobradas para cima.
  • Um erro comum é acabar adicionando mais suplementos em um esforço para remediar os problemas existentes de nutrientes, o que só piora as coisas.
  • A superalimentação precisa ser tratada rapidamente com um enxágue de raiz, estabilização do pH e um novo esquema de alimentação.
tricomas da cannabis
Tricomas da Cannabis (Foto: Resinated Lens)

Deficiência de nutrientes

  • A deficiência de nutrientes pode ser causada por subalimentação ou por bloqueio de nutrientes.
  • Deficiências de nitrogênio, fósforo, potássio ou nutrientes secundários podem causar sintomas como folhagem seca, folhas amarelas ou marrons e caules descoloridos.
  • As deficiências de nutrientes são tratadas aumentando / introduzindo mais nutrientes ou corrigindo primeiro o bloqueio de nutrientes. É importante detectar a causa antes de tratar.

Clique aqui para acessar o guia completo sobre como identificar deficiências nutricionais na sua planta de maconha!

Qual fertilizante escolher para maconha? Orgânico vs químico

Sempre incentivamos o uso de nutrientes orgânicos em vez de fertilizantes químicos. Ao contrário dos químicos, os nutrientes orgânicos são liberados no solo e absorvidos pelas plantas muito mais lentamente, reduzindo drasticamente a chance de queima de nutrientes ou outros problemas de alimentação.

Os nutrientes orgânicos também beneficiam o próprio solo, apoiando o desenvolvimento de um rico ecossistema de microorganismos que protegem e trabalham em conjunto com suas plantas. 

O solo orgânico também melhora com o tempo, tornando-o ideal para cultivadores ao ar livre. O fato de os nutrientes orgânicos não produzirem escoamento tóxico também reduz o impacto da colheita no meio ambiente.

E embora sejamos voltados para os orgânicos aqui no MAPA, entendemos que os fertilizantes químicos também têm suas vantagens. 

Em primeiro lugar, eles são absorvidos muito mais rápido, o que significa que são melhores para situações em que a eficiência é fundamental (como no tratamento de uma deficiência, por exemplo).

O fato de os fertilizantes sintéticos serem feitos cuidadosamente para proporções específicas exatas de nutrientes também significa que você tem muito mais controle sobre o que suas plantas “comem” e em que doses.

Cabe a você se propor a ambas experiências e ver com qual deles melhor se adapta. Mas uma coisa é fato, com fertilizantes químicos você tem pouca margem para erro.

Benefícios dos nutrientes orgânicos

  • Menor impacto no meio ambiente
  • Aumenta a qualidade e a saúde do solo
  • Mais sustentável do que fertilizante químico
  • Melhor sabor (alguns dizem)

Benefícios dos nutrientes químicos

  • Absorção mais rápida
  • As proporções de nutrientes são marcadas (maior controle)
  • Mais acessibilidade

Reflexão

Existem muitas marcas de fertilizantes no mercado, mas não se engane, o maior objetivo de todas elas é a venda. Então, não necessariamente o fertilizante mais caro será o melhor.

Pesquise, converse com quem já está cultivando a mais tempo, estude os rótulos dos produtos. Essas ações irão lhe poupar futuros problemas.

Com a genética certa, nutrientes, água suficiente e muita luz, você estará no caminho certo para cultivar plantas excepcionais. 

Lembre-se de que, sem dúvida, a sua maior arma será sempre a experiência, então continue estudando e melhorando suas habilidades.

Os frutos virão, ou melhor, as flores virão…

E falando em experiência, nós aqui do MAPA nos amarramos em saber sobre a evolução dos nossos leitores no cultivo. Você já teve dificuldades no processo de fertilização? Aconteceram reações adversas ou indesejadas?

E situações positivas? Aquela colheita monstra?

Conta aqui pra gente, estamos ansiosos por essa troca! Comente abaixo contando a sua história. Envia esse artigo para aquele amigo que está tendo dificuldades e fique ligado, por que logo temos mais artigos sendo lançados.

Posts recentes

Veja mais

jQuery('#cb-section-b .cb-module-e').after('');